Total de cheques sem fundos em julho registra o menor índice em oito anos revela Serasa

No sétimo mês de 2018, percentual de devolução pela segunda vez por insuficiência de fundos atingiu 1,83%. Resultado foi o menor para o mês desde 2010 (1,74%) 

Segundo o Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos, julho de 2018 encerrou com 1,83% de devolução de cheques pela segunda vez por insuficiência de fundos, o menor percentual apurado para o mês de julho desde 2010, que foi de 1,74%. No sétimo mês deste ano, foram registrados 684.887 cheques devolvidos de um total de 37.410.500 de cheques compensados no Brasil. O levantamento apontou queda em relação aos dados de junho/2018, que totalizaram 700.162 devoluções (1,99%) entre 35.138.600 compensações. Houve ainda redução frente ao consolidado de julho/2017, que ficou em 1,93%.

No consolidado de janeiro a julho/2018, o país soma 258.472.324 cheques compensados e 1,99% desse total de cheques sem fundos (15.146.046).

Na avaliação dos economistas da Serasa Experian, juros mais baixos, inflação sob controle e menor utilização dos cheques como meios de pagamentos, explicam o recuo da inadimplência com cheques, não apenas em julho/18 mas também ao longo de todo o ano até agora.

Indicador por estados e regiões

No sétimo mês deste ano, todas as regiões brasileiras apresentaram decréscimo no volume de cheques devolvidos pela segunda vez por insuficiência de fundos, quando comparados com os números de junho/2018. O maior e o menor percentuais em relação ao total de compensações continuaram, respectivamente, com o Nordeste (3,43%) e o Sul (1,49%). As demais regiões também mantiveram inalteradas suas posições no ranking.

No levantamento por estados, o Amapá ficou em destaque no de janeiro a julho de 2018, com 14,83%. No extremo da lista, Rondônia segue com o menor percentual do período (1,58%).