Travesti reconhece despachante como autor de atropelamento no Centro

Despachante arranca com tudo e atinge a travesti, derrubando o muro do Casarão da 7 de Setembro/Reprodução Facebook

O despachante Fábio Passos Gomes, 45, preso na noite de sexta-feira, 17, acusado de atropelar uma travesti e tentar atingir outra, derrubando o muro do Casarão histórico da rua 7 de Setembro (Centro), alegou, por meio de seu advogado, que o ataque foi um “mal-entendido” entre ele e a vítima. O incidente aconteceu na quarta-feira, 15, e foi gravado por uma câmera de segurança.

“Houve uma confusão entre o autor e a vítima, que acabou atacando uma pedra no para-brisa do carro; ele parou para ver como é que ia ficar o prejuízo que teve, e aí se instalou uma certa confusão”, disse o advogado Luiz Antônio Costa Cabral à reportagem da TV Globo.

A travesti atropelada prestou depoimento e reconheceu o homem preso como o atropelador. Ela quebrou o pé, teve escoriações e hematomas pelo corpo, mas passa bem. A outra não chegou a ser atingida. Segundo o delegado assistente do 1° DP, Cid Rodrigues da Silva, a versão da defesa é conflitante com a da vítima e das imagens gravadas pela câmera de segurança. “A travesti alega que foi xingada, humilhada e conta que ele teria dado ré e subido na calçada, atropelando-a”, disse.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-SP) foi instaurado inquérito no 1º DP para investigar o caso como tentativa de homicídio qualificado. O acusado ficará preso até, pelo menos, o dia 22 de maio, de acordo com a Polícia Civil.

Policiais farão perícia no carro envolvido no acidente e ouvirão mais uma testemunha para esclarecer o que de fato aconteceu.

*Com informações do G1 e da SSP/SP