De iniciativa da Polícia Militar, o projeto Olhos da Polícia/ Vizinhança Solidária tem promovido a diminuição da criminalidade em bairros de Guarulhos e outras cidades do Estado de São Paulo. Os resultados só são positivos graças à união da PM, Conselhos Comunitários de Segurança e dos próprios vizinhos, que criam um sistema de monitoramento das vias com câmeras, faixas e placas com avisos de que o local é vigiado.

No Jardim Maia e no Jardim Maria Helena, por exemplo, que aderiram ao projeto em agosto de 2016, moradores já têm sentido os efeitos da atuação conjunta. “E não é só na segurança, o ganho maior é justamente da vizinhança. Através da união, temos a possibilidade de conhecermos os nossos vizinhos. Antes, éramos um bairro onde não conhecíamos ninguém. Hoje em dia sabemos quem morra do nosso lado”, comenta morador que preferiu não se identificar por motivos de segurança.

Há cerca de 20 anos no bairro, ele conta que muitos vizinhos já enfrentaram ações criminosas na região, porém, ninguém ficava sabendo. “Depois de um assalto numa das casas, quando oito ladrões abordaram uma família e depois, enquanto dois esperavam na residência, os outros seis pularam o muro para roubar o vizinho, começamos a procurar meios para conter as ações”.

Ainda segundo o morador, manter uma escolta armada e serviços de monitoramento 24 horas sairia caro. Foram agentes da PM quem indicaram o programa. Participam do projeto pelo menos 140 famílias, entre os bairros Jardim Maia e Jardim Maria Helena. Estão espalhadas pela imediação 190 câmeras. Todo o equipamento para o monitoramento foi fornecido e instalado pelos moradores, o que custou cerca de R$ 11.400,00, rateados entre as famílias.

A vizinhança acredita que roubos acontecem após sondagem feita por pessoas que pedem alimentos ou se dispõem a prestar serviços nas residências, como jardinagem. Os moradores pedem para que se aumente o cuidado com esse tipo de ação nos bairros. Outra dica é sempre ter os nomes e contatos dos vizinhos. Assim, qualquer ação estranha nas ruas pode ser avisada.

A vigilância é feita pela PM em conjunto com a Guarda Civil Municipal. O Conseg responsável por estes dois bairros é o Centro.

Outros locais, como Jardim Munhoz e Vila Galvão, também adotaram o projeto. “Eu recomendo para todo bairro que quiser ter mais segurança e, sobretudo, aproximação com os vizinhos”, conclui o morador.

Quem tiver interesse no projeto, pode procurar diretamente a Polícia Militar, que dará as instruções para adesão.

Resultados

O monitoramento já ajudou a polícia em dois casos de roubo. No primeiro, oito pessoas renderam uma empregada e levaram objetos de uma das casas no Jardim Maia. A polícia, tendo a placa do veículo, encontrou o perseguiu o carro. Um dos criminosos acabou sendo baleado.
O segundo caso aconteceu no dia 23 de março, por volta das 12h40, na rua Ivan Marchetti, também no Maia. Os ladrões levaram joias e dinheiro da família. O dono do veículo foi localizado na Vila Carmen, Zona Leste de São Paulo, onde confessou o crime ao ser abordado pelos policiais. O bandido foi conduzido ao 56º DP, da região da Vila Alpina.