Um crime: o patrimônio histórico em completo abandono

Casa do ex-prefeito José Maurício de Oliveira, Fórum local, Junta de Alistamento do Serviço Militar, museu (…) e outros serviços que a bela construção arquitetônica do Centro já abrigou agora vive triste período. O conhecido “casarão” da esquina das ruas Felício Marcondes e Sete de Setembro pode ser apontado como ponto de tráfico, prostituição e abrigo para mendigos e, portanto, um local que nada lembra a glória do passado na cidade de Guarulhos. Afinal, quem liga se o prédio foi tombado e, portanto, é parte do Patrimônio Histórico?

O que antes era reconhecido pela sua beleza arquitetônica, agora é lembrado por seu estado de total miséria e desprezo, graças à inércia da Administração Municipal, que não percebe o valor que a construção tem para os guarulhenses.

Nesta quarta-feira, 11, este portal recebeu a informação de que um corpo foi encontrado no imóvel. Não demorou muito para que vizinhos se pronunciassem: Uma hora ou outra iria acontecer. Graças aos seus baixos muros, a facilidade de entrar no prédio é grande, mesmo tendo um posto da Guarda Civil Municipal (GCM) defronte.

Ainda não se sabe se foi um crime: a polícia irá investigar. A verdade é que muitos outros casos semelhantes, sendo esse um homicídio ou não, continuarão maculando um patrimônio histórico da cidade, que poderia ser renovado e utilizado para tantos bons fins. Infelizmente, o antigo casarão é um símbolo do abandono da cidade pelos seus governantes.

Grupos de pessoas e o Conselho do Patrimônio Histórico começam a organizar-se para pleitear uma atitude das autoridades, que parece não terem entendido o significado do termo “tombado”, pois demonstram esperar que o imóvel caia. Espera-se que as iniciativas da sociedade civil consigam mexer com os brios do poder público e Guarulhos possa voltar a orgulhar-se do seu casarão.