O consumidor sentirá o peso da crise na hora de comprar medicamentos, graças a fatores como produtividade da indústria e variações dos custos de insumos. A partir desta sexta-feira, 1º, os preços dos remédios poderão subir até 12,5%, de acordo com Resolução da Câmara de regulação do Mercado de Medicamrntos (Cmed).

A decisão foi publicada no Diário Oficial da União. Em 2015, o reajuste máximo autorizado foi de 7,7%. Em 2014, o reajuste foi de 5,68%.