Por Kelly Saito

Idealizado pelo advogado Wilson Paiva, o UTI Guarulhos é um projeto criado com a finalidade de levar atendimento jurídico na área da saúde para pessoas que não têm mais a quem recorrer frente ao descaso público. “A ideia inicial era ajudar as pessoas, tendo como maior propósito corrigir as injustiças sociais, principalmente em relação à saúde. Felizmente, tenho conseguido êxito e os atendimentos não param de aumentar”, comenta.
Tudo se iniciou já há algum tempo, quando o advogado começou a atuar judicialmente para pessoas próximas, com o objetivo de obter remédios e tratamentos médicos por meio de ações judiciais. Mas Wilson quis aumentar sua colaboração e em 2015 resolveu expandir. “Pensei que criando uma página no Facebook poderia estender esses atendimentos à população carente. Nasceu daí a ideia do UTI Guarulhos. Os atendimentos que faço são totalmente gratuitos, voltados para aqueles que mais necessitam”.
E ele não está sozinho. Por enquanto atendendo em seu escritório, nos intervalos de sua rotina diária e aos finais de semana, o advogado conta com amigos que atuam na área do direito, profissionais que também disponibilizam um tempo em suas agendas para colaborar com o projeto, que conta apenas com o recurso humano. “Não sou médico, mas poder ajudar as pessoas no momento que elas mais necessitam, lutando pelos seus direitos, me fortalece a cada dia. E a gratidão nos olhos dessas pessoas é o melhor resultado que posso receber”, analisa.

Quem pode usufruir do serviço?

Com uma média de 20 a 30 casos por mês, o UTI Guarulhos atende geralmente pessoas de origem mais humilde, que não possuem recursos para contratar um profissional. “Quase sempre, quando esses pacientes chegam ao UTI Guarulhos, já estão cansadas de esperar uma solução”, conta o advogado e empresário.
A falta de medicação é uma questão recorrente; por muitas vezes, os pacientes não recebem os medicamentos de que necessitam. Nesses casos, a alternativa do UTI Guarulhos é entrar na Justiça, pois na maioria das situações a falta de medicamento pode trazer danos irreversíveis.
Já no caso das internações, exames ou atendimentos, o pedido ou encaminhamento médico é fundamental e para que justifique uma ação judicial precisam ser específicos e classificados como urgentes ou emergenciais. Falando nisso, questionado se o UTI Guarulhos atende somente emergências, Wilson é enfático ao afirmar: “Sendo a saúde um direito constitucional, por vezes, não se trata de ser ou não urgente, pois o dever do Estado é prestar atendimento digno na área da saúde a todos os cidadãos”. Segundo ele, normalmente, os órgãos públicos têm cumprido as determinações da Justiça, até porque se a ordem não for cumprida correm o risco de sofrer multa diária.
O futuro do UTI Guarulhos tende a ser próspero. “Como todo projeto, vejo o UTI Guarulhos como um filho e, como todo pai, quero vê-lo crescer e se desenvolver. Tenho outras ideias que ainda estão em desenvolvimento; em 2017 teremos uma grande novidade”, finaliza.