Guarulhos x buracos: será que a cidade vai vencer essa guerra?

Rua Dr. Carlos de Campos, Parque Renato Maia

Entendo que as questões da saúde pública são as que mais mexem com os humores da população, servindo de termômetro da popularidade dos governantes.

Na gestão municipal, em que pese que a dupla José Sérgio Iglesias Filho e Graciane Dias Figueiredo Mechenas seja, de longe, a mais coesa na relação titulares e adjuntos, entre todas as secretarias, e mesmo sendo perceptível o empenho de ambos em busca de soluções para os recorrentes problemas, esse tem sido um sério nó no qual a administração Guti precisa pôr muito foco em 2018.

A contratação do Instituto Gerir para assumir o HMU, Hospital da Criança e Policlínica Paraventi representou um avanço em termos de agilidade na tomada de providências, mas as nuances sombrias na escolha da empresa e as queixas de lentidão no atendimento empanaram em boa dose (ops!) o brilho que o lado positivo poderia obter. Um dos fatores da denunciada demora pode ser o fato de que o HMU estaria atendendo muito mais pessoas agora do que antes, conforme relato obtido na vizinha drogaria Hiperfarmac, cujo número de receitas aviadas cresceu. Um vídeo mostrando grande vazamento de água da chuva pelo telhado do HMU bombou dias atrás nas redes sociais.

Porém, citei isso para dizer que depois da Saúde o que mais irrita a população e provoca furor na opinião pública em referência a uma gestão municipal são os buracos nas ruas.

Nos primeiros meses da administração Guti, viu-se um esforço gigantesco para tapar buracos, porque a cidade estava mesmo parecendo um queijo suíço. Dava a impressão de que vencer a guerra contra os buracos era apenas questão de tempo. Pouco depois, no entanto, parece que aquele ritmo diminuiu e as queixas da população cresceram na mesma proporção em que os buracos começaram a tomar conta das ruas cada vez mais.

Pode até ser que o ímpeto do Saae em encontrar vazamentos na rede de água e consertá-los tenha aumentado a ocorrência de buracos nas vias públicas.

Até há pouco, buracos feitos pelo SAAE eram tapados pela Proguaru e estava havendo descompasso entre o surgimento deles e o efetivo conserto, inclusive na região central. Para agravar a situação, a empresa mista atrasou pagamento a fornecedores de insumos e eles interromperam o fornecimento, causando maior morosidade nos reparos.

Há duas semanas, questionei a Assessoria de Imprensa da Proguaru sobre o que está sendo feito para enfrentar essa situação e quais as perspectivas de que a cidade passe a ter vias mais trafegáveis, pois muitas têm tantos remendos que o mais recomendável é repavimentá-las por completo.

Aliás, um sintoma de como a opinião pública reage perante atitudes das autoridades é o que ocorreu com a avenida Arminda de Lima, na vila Progresso, região central. Quando a via estava esburacada, no início do ano, postavam nas redes sociais, dizendo que a Proguaru não consertava nem a própria avenida onde se situa a sede da empresa. Meses depois, a pista foi totalmente refeita e aí choveram nas redes sociais críticas porque a empresa teria priorizado o rua de sua sede.

Seguem alguns exemplos de buracos que estão infernizando a vida de muitos motoristas:

(Obs.: Pode ser que algum(ns) desses tenham sido consertados no decorrer da elaboração desta reportagem)

RESPOSTAS

A empresa respondeu que, de maneira emergencial, a Proguaru vinha realizando manutenções após o envio de ordem de serviço pelo Saae, até que a autarquia assinou contrato com um nova empresa, que passou a efetuar o serviço.

Nesse sentido, algumas providências imediatas puderam ser sentidas nesta semana que antecede o Natal. Alguns buracos cujas fotos haviam sido enviadas à Proguaru foram tapados nestes dias.

Além desse que aparece na foto, vários outros buracos da mesma rua foram consertados na quinta ou sexta-feira. Observar-se, porém, algumas incoerências: na mesma rua Vítor Costa, onde há o buraco mostrado acima, em frente à futura nova sede da Guarucoop, vários outros foram tapados nesta semana.

Perspectivas

Sobre as perspectivas de que em 2018 a cidade efetivamente vença a guerra contra os buracos, e que muitas vias requerem um novo asfalto em vez de insistir em novos remendos, a Assessoria de Imprensa da Proguaru, informa que para 2018, a pedido do prefeito Guti, está prevista uma potencialização dos serviços de recapeamento de vias, visto que muitas ruas e avenidas da cidade não suportam mais a manutenção realizada pelo tapa-buracos.

Em relação às empresas que fornecem o material para as manutenções do tapa-buracos, a Proguaru afirma que, hoje, a prestação de serviço encontra-se normalizada.

À guisa de prestação de contas, a Assessoria informa que, de janeiro a novembro de 2017, a Proguaru tapou mais de 55 mil buracos na cidade. “Todos os dias, nossas equipes realizam manutenções, mas, com a potencialização dos serviços de recapeamento, em 2018, será possível que tenhamos vias melhores e mais seguras para o tráfego”, informa a empresa nas respostas aos questionamentos do Click Guarulhos.

Ao apontar problemas a serem corrigidos pela Administração Pública e questionar as autoridades em busca de soluções, o Click Guarulhos cumpre sua função de veículo de utilidade pública, como porta-voz da população.

Valdir Carleto