Filhos de mulheres que comeram gordura na gravidez têm mais chances de ter Alzheimer

É isso mesmo, um estudo sugere que alimentação rica em gordura durante a gravidez pode tornar os filhos mais vulneráveis ao mal de Alzheimer.

Os hábitos alimentares da grávida podem influenciar o risco de o feto desenvolver Alzheimer mais tarde na vida, segundo uma nova pesquisa da Universidade de Southampton, no Reino Unido.

Os especialistas descobriram que descendentes de ratos alimentados com uma dieta rica em gordura tinham maior probabilidade em adultos de problemas de fluxo sanguíneo no cérebro, uma característica associada ao Alzheimer.

Como foi o estudo que diz que risco de Alzheimer pode começar na gravidez

Quando os filhotes foram alimentados com uma dieta rica em gordura os seus cérebros tornaram-se menos capazes de eliminar a proteína prejudicial amiloide, que se acumula no cérebro dos doentes de Alzheimer.

Cheryl Hawkes, líder do estudo, ressalva que mais trabalhos serão necessários para compreender esta associação, mas recorda que a pesquisa pode ter implicações importantes para os seres humanos, pois estes “resultados preliminares sugerem que as dietas das mães durante a gravidez podem ter efeitos a longo prazo sobre os cérebros e a saúde vascular dos seus filhos”.

Num próximo passo, os especialistas vão procurar confirmar se os resultados podem estar relacionados com a doença de Alzheimer em humanos, o que poderia fornecer novas pistas sobre a prevenção da doença.

Renata Fraia, farmacêutica e jornalista, atuando desde 2008 na atenção e assistência farmacêutica nos blogs Saúde da Mulher e Saúde com Ciência

Acompanhe pelo Click Guarulhos novos artigos de Renata Fraia nos próximos dias.

Para conhecer melhor o trabalho dela, acesse os sites que ela mantém:

www.saudecomciencia.com
www.saude-mulher.com
www.oquecomerhoje.net