Maternidade Jesus, José e Maria pede socorro para manter portas abertas

Bebê se recupera na UTI-Neonatal da Maternidade Jesus, José e Maria - Foto: Alexandre de Paulo/Click Guarulhos

Referência no atendimento de partos de alto risco e bebês que necessitam de cuidados em UTI Neonatal, a Maternidade Jesus, José e Maria (MJJM), que é administrada por uma instituição beneficente e depende 100% de recursos públicos para fazer os cerca de 600 partos gratuitos por mês (metade dos partos realizado na cidade), todos via SUS, está com déficit mensal de R$ 350 mil em seu caixa. A dívida acumulada é de aproximadamente R$ 3,2 mi. De acordo com o presidente do conselho administrativo da maternidade, Luis Roberto Mesquita, por conta da grave crise financeira não há recursos para comprar novos insumos e nem para quitar o 13° salário dos funcionários. “Precisamos de ajuda, com urgência, para não fechar”. Diante da mobilização da sociedade, tanto a Prefeitura, quanto o Estado e o Governo Federal se comprometeram a ajudar. O Prefeito Guti prometeu nesta quinta-feira (21) repassar R$ 3,2 mi à Maternidade JJM até a primeira semana de dezembro.

Auxiliares trabalham no departamento de esterilização da maternidade JJM – Foto: Alexandre de Paulo/Click Guarulhos

Funcionários da maternidade divulgaram no início desta semana uma carta aberta à população de Guarulhos, convocando para um protesto na segunda-feira, 25, e alertando que “não há dinheiro suficiente para manter a maternidade funcionando até o fim do ano”.  

Mesquita, que assim como outros diretores é voluntário na instituição, explica que o Sistema Único de Saúde (SUS) arca com 40% das despesas (R$ 1,85 mi) e a Prefeitura de Guarulhos com o restante (R$ 2,5 mi), porém o montante não é suficiente para cobrir todos os custos, que giram em torno de R$ 4,7 mi. “Desde o ano passado o prefeito Guti prometeu suplementar o subsídio, em aproximadamente R$ 5 mi, mas isso não foi feito. Por três vezes nós pedimos ajuda este ano. A última vez, agora em novembro, solicitamos R$ 3,2 mi para cobrir o rombo, mas isso também nos foi negado”, desabafou.  

Luis Roberto Mesquita, presidente do conselho da Maternidade JJM – Foto: Alexandre de Paulo/Click Guarulhos

O aumento da demanda entre 2017 a 2019 foi 47% superior, isso só no atendimento a bebês na UTI Neonatal, um dos serviços mais custosos. Além disso, a maternidade, que em 2018 era 1ª é este ano é a 2ª no estado em número de partos, também faz 2.900 atendimentos relacionados à saúde da mulher, nas mais diversas áreas, como enfermagem, consulta pré-anestésica, cirurgia ginecológica, mastologia, ultrassonografia, mamografia, entre outras.

“A assistência básica de saúde na cidade não está boa, por isso muitas futuras mães chegam até nós sem ter feito ao menos um pré-natal nas UBSs. Isso impacta muito o nosso atendimento e consequente no custo mensal”, aponta Mesquita.

Solange Santos e a pequena Letícia, que nasceu com 5 meses e receberá alta amanhã – Foto: Alexandre de Paulo/CG

Usuária elogia qualidade no atendimento da MJJM. “Minha filha nasceu de cinco meses e só está viva graças ao atendimento que recebemos aqui na maternidade Jesus, José e Maria”, disse Solange da Silva Santos, de 33 anos.

Mobilização

Diante da negativa do prefeito em aumentar os recursos e da carta aberta dos funcionários, Mesquita tem recebido a visita de deputados (federais e estaduais) vinculados à cidade, que se dizem dispostos a mediar reuniões com outras instâncias de governo. “Há uma grande mobilização; recorreremos ao governo do Estado e ao Governo Federal. Estamos buscando ajuda para manter o atendimento, que é reconhecido como de qualidade pelos próprios usuários”, disse.

Duas reuniões foram realizadas, uma com o representante da Saúde do Estado de SP, Osmar Mikio Moriwaki, e outra com ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, esta intermediada pelo deputado federal Eli Corrêa Filho (DEM) e sua mulher Francislene Assis de Almeida Corrêa. Ambos estão se comprometendo a ajudar a maternidade JJM na medida do possível.

Alguns deputados estaduais, entre eles Márcio Nakashima (R$ 400 mil) e Jorge Wilson (R$ 500 mil), ambos com vínculos em Guarulhos, prometeram encaminhar verbas oriundas de emendas parlamentares à MJJM. Porém, até o momento, a instituição não recebeu nenhum centavo.

Questionado quanto às declarações do Prefeito Guti, de que o município estaria pronto para assumir a maternidade, Mesquita foi enfático: “Há um rombo de aproximadamente 300 a 350 mil reais por mês. A maternidade cumpre um papel (de atendimento à saúde) que é do município. Fazemos atendimento de partos, bebês prematuros e especialidades ginecológicas. Se não existíssemos a Prefeitura teria que fazer o que fazemos”, afirmou. “Esse montante de R$ 3,2 mi é o mínimo, isso ainda negociando, parcelando com fornecedores, apertando o sinto”, complementou Mesquita.

Prefeito Guti

Graças à mobilização da sociedade e à grande repercussão do caso, o Prefeito Guti, que a princípio se limitou a escrever nas redes sociais “que os repasses da prefeitura estavam em dia” e que não havia risco da maternidade fechar, pois a Prefeitura “teria condições de assumi-la”, gravou na tarde desta quinta-feira, 21, um vídeo, informando que vai repassar mais dinheiro à maternidade por meio da Câmara Municipal.

“A gente vai conseguir recurso. A Câmara vai economizar e devolver esse valor à Prefeitura. Nós vamos suplementar esse dinheiro para a JJM, que tanto precisa para fechar as contas até o final do ano. Essa é a solução que nós encontramos”, explicou o prefeito, que informou que o pagamento deve ser feito até a primeira semana de dezembro.

Rose Rodrigues, 43 anos, auxiliar de enfermagem, cuida dos bebês no berçário – Foto: Alexandre de Paulo/CG

Uma vaquinha virtual foi aberta na internet para receber doações em dinheiro à Maternidade Jesus, José e Maria. Clique aqui para fazer a sua doação.

*Reportagem de Alexandre de Paulo

“Prefeitura diz que socorrerá Maternidade JJM”

O prefeito de Guarulhos, Guti, anunciou nesta quinta-feira (21) que a Prefeitura irá socorrer a Maternidade Jesus, José e Maria, com uma suplementação de R$ 3,2 milhões que serão utilizados pela instituição filantrópica para saldar as despesas correntes deste ano, como o pagamento de 13º salário para seus funcionários.

A solução foi possível graças a um acordo com a Câmara Municipal, que adiantará a devolução de parte do duodécimo repassado pela Municipalidade.  “Não poderíamos deixar de socorrer um hospital tão importante para a população. Apesar das dificuldades financeiras que o Município passa, conseguimos uma solução com o apoio do Legislativo”, afirmou Guti.  

Com o repasse, que ainda depende de um projeto de lei a ser aprovado pela própria Câmara nos próximos dias, a instituição conseguirá arcar com os custos a mais apresentados à Prefeitura de Guarulhos uma semana atrás. Guti informou que o dinheiro deverá chegar ao JJM até o próximo dia 10 de dezembro. 

A Prefeitura está com os repasses ao JJM em dia, sem qualquer atraso. Neste ano, incluindo os valores do SUS, a Municipalidade já transferiu R$ 47 milhões à maternidade, responsável por cerca da metade de todos os partos realizados em Guarulhos. Com a parcela de dezembro, serão R$ 51 milhões transferidos, sendo R$ 30 milhões do Tesouro Municipal, 67% a mais do que estava orçado em 2016, último ano da administração anterior. 

A decisão pelo repasse dos R$ 3,2 milhões reivindicados pela direção do JJM se deu após uma reunião realizada nesta quinta-feira entre Guti e o presidente da Câmara, professor Jesus, os vereadores Eduardo Carneiro, líder do Governo, e Eduardo Soltur, além do secretário de Governo, Americano. Juntos, eles chegaram à conclusão que seria possível a Câmara antecipar a devolução de parte do duodécimo, já que a Casa de Leis, por meio de diversas ações internas, conseguiu economizar ao longo deste ano. “É importante que o JJM busque também outras soluções para seu financiamento junto aos governos estadual e federal. E que a Câmara promova estudos junto à instituição para verificar como os recursos públicos vêm sendo utilizados”, concluiu o prefeito Guti.

*Informações da Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Guarulhos