Artistas contemplados com prêmio de dança em 2016 reclamam de calote de R$ 30 mil da Prefeitura

"Entropia Mental", da Cia Insano Movimento, foi apresentada no dia 16 de outubro de 2016, no Adamastor - Gabriel Cruz

Os bailarinos Matheus Pamplona e Khalina Aymelek reclamam que não receberam a premiação em dinheiro referente ao prêmio “Guarulhos Cultural”, promovido pela Secretaria de Cultura, com o qual foram contemplados em outubro de 2016. Cada Cia de dança deveria ter recebido R$ 10 mil. No entanto, segundo eles, “nunca viram a cor deste dinheiro”. Outro espetáculo, igualmente “premiado”, também não recebeu um centavo sequer. A dívida total é de cerca de R$ 30 mil. Na época o prefeito da cidade era Sebastião Almeida (PT, depois PDT) e o secretário de Cultura em exercício era Edson Fontes, membro da equipe do secretário Edmilson Souza (PT), que se licenciara para concorrer novamente à Câmara dos Vereadores. 

Procurada pelo Click Guarulhos, a Assessoria de Imprensa da atual administração do prefeito Guti limitou-se a responder que “vem saldando, gradualmente, dívidas pendentes em inúmeras áreas. Contudo, não há nenhum processo em trâmite na Secretaria de Cultura para o pagamento relacionado ao referido prêmio, que deveria ter sido efetuado no ano de 2016.”

Cartaz de um dos espetáculos contemplados com prêmio da Secretaria de Cultura em 2016 – Foto: Adriana Siqueira

Recentemente, a Secretaria de Cultura, cujo orçamento para 2020 é de R$ 30 milhões, lançou um edital para projetos culturais, prometendo R$ 10 mil de ajuda aos contemplados, mesmo valor do prêmio de 2016. “Eu ganhei um primeiro prêmio em 2015 (R$ 10.252,20) que me foi pago direitinho. No ano seguinte, 2016, ganhei novamente, porém até hoje essa valor não foi pago”, queixa-se Matheus. “Agora a Prefeitura lançou este edital para projetos culturais, prometendo R$ 10 mil de ajuda, o mesmo valor do meu prêmio, mas não paga as dividas com os grupos de projetos anteriores”, completou, indignado.

Edmilson Souza, secretário de Cultura da gestão Almeida

Edmilson Souza, ex-secretário de Cultura na gestão Sebastião Almeida e atual vereador pelo PT – Foto: Divulgação

De acordo com o secretário de Cultura na 2ª gestão do prefeito Sebastião Almeida (2013-2016), Edmilson Souza (PT), a dívida não prescreve e deve ser quitada pela atual administração. “Normalmente a gente fazia a seleção num ano e o pagamento no seguinte: 2016 foi o último ano da nossa gestão. Em 2017 assumiu a nova gestão (Guti). Este tipo de pagamento não prescreve, a Prefeitura tem de pagar. Eles (os artistas) ganharam, conquistaram e a Prefeitura tem de pagar o valor. Esse prêmio deveria ter sido pago no ano de 2017”, disse o atual vereador petista.

Promessa no início da gestão Guti  

Para Khalina Aymelek, bailarina também contemplada, no começo da gestão Guti houve a promessa de quitação da dívida, mas infelizmente até agora, nada. “Minha Cia. foi contemplada com esse prêmio em 2016 e até hoje não houve uma resposta. Eu cobrei pessoalmente do então secretário de Cultura, Alexandre Zeitune, que me assegurou que (o problema) seria resolvido. O fato foi confirmado publicamente na Conferência de Cultura, no primeiro semestre do mandato dele, em 2017. Ele afirmou publicamente em plenária, e na frente dos presentes, que o prêmio seria pago em 15 dias. Até agora não foi”, disse ela.



“Tenho fotos que comprovam a minha presença na conferência há 2 anos, mas não tenho gravação da promessa que foi feita. Quem falou na plenária foi o diretor de Cultura, Tiago Ortaet, em nome do então secretário Zeitune. Já estamos no terceiro secretário de Cultura na cidade e nada de pagamento”, completou.

Alexandre Zeitune, 1° secretário de Cultura da gestão Guti

Alexandre Zeitune – vice-prefeito de Guarulhos – Foto: Fabio Nunes Teixeira/PMG

O vice-prefeito Alexandre Zeitune disse ao Click Guarulhos que não importa se a dívida tenha sido adquirida na administração anterior; a obrigação da Prefeitura é pagar. “Não me lembro do caso especificamente, mas estava colocando em ordem todos os pagamentos da Cultura. Com o corte do balé terceirizado, que tinha contrato de aproximadamente R$ 1 milhão e agora atende o mesmo número de crianças aqui no Adamastor, e da saída do Conservatório para o espaço Semear, que gastava por volta de R$ 400 mil ao ano, estávamos com isto organizando as contas”, disse Zeitune.

“Quem tocava a operação era o subsecretário Adalmir, mas, se for apurado, a Prefeitura deve pagar. Se existe o passivo com os artistas, se está instruído o processo, mesmo que seja do governo anterior, tem que ser liquidado”, completou

Nota oficial da Prefeitura de Guarulhos

Leia abaixo a íntegra da nota oficial da Prefeitura de Guarulhos sobre o caso:

“Diante da enorme dívida herdada da administração anterior, a Prefeitura de Guarulhos informa que vem saldando, gradualmente, dívidas pendentes em inúmeras áreas.

Contudo, não há nenhum processo em trâmite na Secretaria de Cultura para o pagamento relacionado ao referido prêmio, que deveria ter sido efetuado no ano de 2016.”

*Reportagem de Alexandre de Paulo

Prorrogadas inscrições para o FunCultura

A Prefeitura de Guarulhos prorrogou até a próxima sexta-feira (29) o período de inscrições para jovens artistas de Guarulhos interessados no financiamento de seus projetos culturais por meio do novo edital do FunCultura (Fundo Municipal de Cultura). As propostas contempladas receberão até R$ 10.000 para sua execução.

Pela primeira vez a Prefeitura direciona o FunCultura exclusivamente para obras de jovens artistas com idade entre 18 e 29 anos, residentes na cidade, para o desenvolvimento de seu primeiro projeto. Ao todo serão selecionados treze projetos.

Os interessados devem acessar este link, ler atentamente o edital e fazer a inscrição.

Esta é a 11ª edição do concurso e, desde que foi criado em 2003, já tornou realidade 113 projetos nas mais diversas áreas artísticas. Além de possibilitar aos autores a concretização de suas propostas, os projetos financiados pelo FunCultura proporcionam à população atrações como espetáculos musicais, teatrais, de dança, exposições, oficinas culturais e palestras, entre outras.

Sobre o FunCultura

O Fundo Municipal de Cultura (FunCultura), vinculado à Secretaria de Cultura, foi criado pela lei municipal 5.947/2003 e é regulamentado pelo decreto municipal 22.329/2003. Ele tem a finalidade de prestar apoio financeiro a projetos de natureza artístico-cultural e ao desenvolvimento de programas culturais mediante a administração autônoma e a gestão dos respectivos recursos.

Os projetos culturais são avaliados, selecionados e acompanhados pelo Conselho Diretor do FunCultura, composto por três membros eleitos entre os produtores culturais do município e três membros da Secretaria de Cultura.

Para mais informações, ligue: (11) 2087-4170, de segunda a sexta, das 8h às 17h.

*Com informações da Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Guarulhos

Cultura estima orçamento de R$ 20 milhões para 2020

O secretário de Cultura, Vitor Souza, disse em audiência pública que debate a Lei Orçamentária Anual, nesta segunda-feira (25), na Câmara Municipal, que a pasta está com um orçamento estimado para 2020 de pouco mais de 20 milhões.

O gestor afirmou que parte expressiva do montante será utilizado para custear a folha de pagamento dos servidores que trabalham no órgão.

Outra boa parte do orçamento será aplicada nos diversos projetos desenvolvidos pela Secretaria, como o “Pontos de Cultura” e “Agentes de Leitura”.

Souza também declarou que a despesa de manutenção de espaços públicos, como o Teatro Adamastor, é de responsabilidade da Cultura e está englobada pelo orçamento total destinado à pasta.

*Com informações da Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal de Guarulhos