Guarulhos tem déficit de 6.220 vagas em creches

Foto: Arquivo Click Guarulhos/Divulgação/PMG
 

De acordo com a Prefeitura de Guarulhos, neste início de 2020 há uma lista com 6.220 crianças à espera de vagas em creches na cidade. Duas moradoras da Vila Barros exemplificam a dificuldade de milhares de mães e avós, que desde o ano passado peregrinam em busca de um locam adequado para deixar seus filhos e netos, com o objetivo de trabalhar fora para ajudar no sustento de suas famílias.

Rute e Raquel reclamam que não conseguem vagas nas creches do bairro onde moram e nem no Parque Cecap, que fica próximo. A Prefeitura informa ainda que o déficit de vagas especificamente nessas regiões é de 105 crianças em lista de espera.

Rute de Paula Guilherme, avó de duas crianças, uma menina de 5 anos e um menino de 3, afirma que a neta até está matriculada numa escola no Jardim Santa Emília, seguindo orientação “para não perder a vaga”. Já o menino aguarda numa fila de espera na creche do Jardim Almeida Prado.

Segundo elas, desde o ano passado ambas estão em busca de vagas para as crianças perto de casa. “Mandaram-me para a Vila Fátima, porém é muito longe de onde moro. Tenho problemas nas pernas, não posso caminhar muito. Como a minha neta tem 5 anos também me disseram que ela não tem direito a transporte (escolar) gratuito. No Cecap pediram para eu passar todos os dias, para ver se aparecem vagas. É muito sofrimento”, reclama Rute.

Já a sua filha, Raquel de Paula Guilherme, 23 anos, atendente, mãe das crianças, confirmou que a filha Sara está matriculada na EPG Pedrinho e Narizinho, no Santa Emília. Porém o filho Davi, ainda sem vaga, aguarda numa fila de espera (sem fim) no Jardim Almeida Prado. “Até agora nada, ontem mesmo (quarta-feira, 15) estivemos lá, mas não conseguimos uma vaga pra ele”, disse.

Segundo a Prefeitura, desde o início da gestão Guti foram criadas 4.044 vagas na rede própria e 5.036 em instituições parceiras. “Informamos que para o computo deste dado utilizamos a contabilização da capacidade de cada classe, o que não se confunde com a quantidade de alunos. Exemplo: em uma determinada região uma escola pode ter a capacidade de atender 500 alunos, mas com ocupação de apenas 450 vagas, devido a baixa demanda da região”, informou.

Ainda segundo a Prefeitura, a expectativa até o fim do mandato deste governo é criar 2.245 vagas na rede própria e cerca de 3.000, em período integral, em instituições parceiras.

Em outubro do ano passado, a Prefeitura anuncio que disponibilizaria mais 1.150 vagas em creches para crianças de zero a três anos e 11 meses de idade, com as inaugurações de duas unidades escolares nos bairros Vila Alzira (690 vagas) e Vila Galvão (460).

“É meta do nosso governo zerar o déficit de vagas de creche da cidade”, disse o prefeito Guti na ocasião. “Para atingir esse objetivo e enfrentar uma demanda crescente, é preciso planejar com eficiência e atuar com agilidade. A atual administração assumiu a Prefeitura em estado caótico, com dezenas de obras abandonadas pela cidade, incluindo as unidades escolares Vila Alzira e Vila Galvão. Contar com a parceria de entidades que possam assumir a responsabilidade de oferecer educação de qualidade e colocar as creches em operação no menor tempo possível é prioridade da administração, que objetiva atender o maior número de alunos”, completou o prefeito.

*Reportagem atualizada às 15h desta sexta-feira (17)