Deputado Alencar quer mobilizar Guarulhos contra novo pedágio na Via Dutra

Alencar Santana, deputado federal (PT-SP) - Foto: Alexandre de Paulo/Click Guarulhos
 

O deputado federal Alencar Santana Braga (PT-SP) esteve na Redação do Click Guarulhos na manhã desta segunda-feira, 20, para falar a respeito da audiência pública da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) ocorrida na sexta, 17, em São Paulo, quando foi anunciada a proposta de criar um novo pedágio na área urbana da Rodovia Presidente Dutra.

Ele relatou que essa foi a terceira e última audiência pública a respeito da licitação para nova concessão da Via Dutra, pois está próximo do final o contrato com a CCR/NovaDutra. As anteriores foram realizadas no Rio de Janeiro e em Brasilia (DF). Além de Alencar, apenas o deputado Eduardo Cury, de São José dos Campos, participou do evento. O prefeito Guti esteve presente, acompanhado do secretário de Obras, Marco Antonio Guimarães, mas não fez pronunciamento e deixou o local antes da conclusão. O deputado federal Eli Corrêa Filho (DEM-SP) está de licença por seis meses, para tratar de assuntos particulares.

Após a fala do diretor da ANTT, Davi Ferreira Gomes Barreto, foi feita a exposição da proposta da ANTT, que é de licitar, junto com mais de 400 km da via Dutra, 52 km da BR-101, rodovia Rio-Santos, trecho da divisa entre os estados do RJ e SP e a Praia Grande, em Ubatuba. Sem fornecer detalhes, foi revelado como um dos atrativos para empresas interessadas em administrar essas duas estradas a criação de novos pedágios, pelo sistema “Free Flow” (fluxo livre), na área urbana servida pela rodovia federal, fatalmente a ligação entre Guarulhos e a Capital.

Além entregar documentos com sugestões de investimentos na região, Alencar Santana usou a tribuna para discordar da intenção da ANTT, por entender inaceitável, já que praticamente não há alternativas viáveis para os guarulhenses se deslocarem a São Paulo e a imensa maioria o faz para trabalho. Disse ainda que o transporte rodoviário entre as duas cidades, por caminhões, também seria afetado e o custo inevitavelmente acabaria repassado para as mercadorias.

Rodovia Presidente Dutra, num dos trechos que corta Guarulhos – Foto: Divulgação

Como não foram fornecidos detalhes, Alencar não sabe exatamente como se daria a cobrança do pedágio. “Ao que tudo indica, seria um mecanismo por câmeras, pela impossibilidade de instalar um posto físico de pedágio, talvez pelo reflexo negativo que traria à fluidez do tráfego”, comentou. Ele minimiza a importância de um cogitado desconto para quem usar a Dutra mais frequentemente, até porque só poderia se valer dessa vantagem quem tivesse instalado sistema eletrônico de pagamento de pedágio.

Na audiência, o secretário de Transportes e Logística do Estado de São Paulo, João Octaviano Machado Neto, pronunciou-se, recomendando que o assunto seja melhor debatido.

Como não foram fornecidos detalhes, Alencar não sabe exatamente como se daria a cobrança do pedágio, nem exatamente a partir de qual ponto da rodovia. “Ao que tudo indica, seria um mecanismo por câmeras, pela impossibilidade de instalar um posto físico de pedágio, talvez pelo reflexo negativo que traria à fluidez do tráfego”, comentou. Ele minimiza a importância de um cogitado desconto para quem usar a Dutra mais frequentemente, até porque só poderia se valer dessa vantagem quem tivesse instalado sistema eletrônico de pagamento de pedágio.

Outra questão levantada é referente aos transportes coletivos. “São 114 mil pessoas por dia transportadas em ônibus em Guarulhos, incluindo as linhas municipais e intermunicipais. Fatalmente, se houver um custo a mais para as empresas, isso pode impactar o preço das tarifas, a não ser que haja uma forma eletrônica de liberar os coletivos”, disse.

Mobilização

Alencar Santana, deputado federal (PT-SP) – Foto: Alexandre de Paulo/Click Guarulhos

Indagado sobre o que pretende fazer para buscar impedir a concretização desse novo pedágio, o deputado respondeu que pleiteará que mais uma audiência pública, ainda em janeiro, desta vez em Guarulhos, devido à importância do assunto para a cidade. A Câmara dos Deputados está em recesso, o que dificulta a tomada de outras medidas no âmbito político-administrativo. Alencar não descarta que se possa discutir judicialmente a ideia da ANTT de juntar duas rodovias em um mesmo processo licitatório de concessão. “Lógico que a operação de um pequeno trecho da Rio-Santos de menor movimento terá de ser sustentada pela arrecadação da via Dutra. Como pode o usuário de uma estrada custear a utilização que outro motorista fará de outro local? Isso é bem discutível”, adiantou.

Para o deputado federal, que foi vereador em Guarulhos, secretário municipal e deputado estadual, a forma mais provável de barrar a implantação de um novo pedágio na Via Dutra, que prejudicaria praticamente toda a população, é a mobilização popular. “Só a pressão da sociedade poderá surtir efeito efetivo. É necessária a junção de todas as forças: Prefeitura, vereadores, deputados estaduais, entidades empresariais, pois Guarulhos como um todo sofrerá prejuízos com isso”, afirmou.

Sugestões apresentadas

Alencar Santana, deputado federal (PT-SP) – Foto: Alexandre de Paulo/Click Guarulhos


Alencar Santana enumerou as sugestões que apresentou, em seu nome e algumas em nome do ex-prefeito Elói Pietá:

  • Construção de via marginal, entre o trevo de Bonsucesso e a avenida Carmela Dutra;
  • Construção de acesso à avenida Jacu-Pêssego;
  • Revisão das passarelas para pedestres, no trecho próximo à Aché e à Maggion, eliminando os semáforos;
  • Mais travessias sobre a rodovia Presidente Dutra, a exemplo das que há em outras cidades;
  • Entradas e saídas condizentes da rodovia para a região central de Guarulhos;
  • Nova entrada para região do Jardim Álamo;
  • Faixa preferencial para ônibus;
  • Solução para moradores de bairros de Arujá, próximos ao limite com Guarulhos, que ficaram ilhados com a construção do Rodoanel e são obrigados a dar uma grande volta ou a pagar pedágio para chegar ao centro de Arujá.