ABC manterá redução no transporte coletivo, mas não cessará totalmente

 

Reportagem do jornalista Adamo Bazani, do Diário do Transporte, informa que os ônibus das sete cidades do ABC Paulista não vão mais parar completamente a partir do dia 29 de março como estava programado.

A decisão foi tomada na manhã desta terça-feira, 24, depois de reunião extraordinária entre prefeitos e o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy e com o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.

De acordo com o prefeito de Rio Grande da Serra e presidente do Consórcio Intermunicipal do ABC, Gabriel Maranhão, a região vai operar com redução nos horários de pico de 50% e com 30% da frota no entre-pico. No fim de semana, serão 30% da frota no pico e 15% nos demais horários.

Maranhão disse que a decisão é um realinhamento com o Governo do Estado e que as prefeituras vão monitorar o cumprimento dos percentuais pelas empresas de ônibus. Ele ainda falou que deve haver redução na frota dos ônibus metropolitanos, mas não exatamente nos mesmos percentuais.

A demanda de passageiros em todo o ABC dos ônibus muncipais caiu em média 73% nos últimos dias

A medida de reverter a paralisação total dos ônibus se dá principalmente para garantir o transporte de pessoas que trabalham em setores essenciais, como da área da saúde e de supermercados, entre outros.

Guarulhos deveria repensar a estratégia

Indiscutivelmente, está sendo muito menor a demanda por transporte coletivo em Guarulhos. Mas, a decisão dos empresários do setor do ABC deve servir de referência para a Guarupass e para a Prefeitura de Guarulhos, quanto à anunciada redução gradativa da oferta de ônibus, até praticamente zerar a partir de abril, quando só ficaria o número mínimo para atender quem trabalha nos serviços de Saúde.

Desde ontem, têm circulado reclamações de pessoas que atuam em outros ramos de atividade, mas que dependem de ônibus para se locomover até os locais de trabalho. Por exemplo, na manhã da segunda-feira, entre 5h e 6h, quem dependia do transporte coletivo para chegar da região do Pimentas até a área central da cidade teve dificuldades, trafegando em ônibus lotado, em um momento em que é preciso evitar a todo custo aglomerações de qualquer tipo. A redução que já foi posta em prática talvez devesse ser menor nos horários de pico.

Valdir Carleto

foto: Diário do Transporte