Enquanto muitos duvidam da covid-19, profissionais morrem na linha de frente, como a Cris, técnica de enfermagem do HMU

 

Enquanto muitos brasileiros preferem acreditar em suas próprias crenças do que nos fatos, enquanto muitos internautas, em vez de fazer sua parte para evitar a propagação do vírus, preferem ofender os que lutam pela coletividade, profissionais que estão atuando na linha de frente em atividades essenciais estão sendo infectados e muitos deles morrendo pela covid-19.

Apenas entre profissionais da saúde, incluindo médicos, enfermeiros (as) e assistentes de enfermagem, cerca de 7 mil tiveram sintomas e nada menos de 1.400 estavam infectados, dos quais, até números recentes, 18 haviam morrido.

Um caso que merece ser citado é o da médica Lúcia de Fátima Abrantes, de Iguatu (CE). Ela menosprezou a covid-19, afirmando que era pouco gravou mensagens dizendo que havia exagero da Imprensa na cobertura da pandemia, chegou a convocar manifestação, defendendo o fim do isolamento. Porém, contraiu a doença e morreu dez dias depois.

Se quiser saber mais a respeito, acesse aqui.

Guarulhos chora a perda de técnica de enfermagem do HMU


Neste fim de semana, Guarulhos teve a triste notícia de que uma das técnicas de enfermagem da rede municipal, a Cristiane Silva, a Cris, que atuou no HMU, não resistiu e veio a falecer, enquanto outros profissionais permanecem em tratamento. Seus colegas de trabalho choram sua perda, em emocionadas postagens nas redes sociais.

Muitos policiais já sucumbiram ao coronavírus, bombeiros, além de tantos outros heróis anônimos, atuando nas mais diversas profissões essenciais, que faleceram, transformando-se em meros números nas tristes estatísticas. Enquanto isso, irresponsáveis e insensíveis, muitos debocham do vírus e descreem das notícias, atribuindo-as a interesses escusos de um ou outro grupo político. Esquecem-se esses incautos que o vírus está em todos os continentes e não escolhe classe social, sexo, cor, idade, nem ideologia.

Fazemos estes registros como um alerta aos incrédulos e uma homenagem à Cris Silva e a todos os profissionais que perderam a vida para defender a vida de tantos outros.

Valdir Carleto