Estado e Prefeitura têm números diferentes de casos e de óbitos por covid

 

Os números que têm sido divulgados pela Prefeitura de Guarulhos diariamente diferem dos que são publicados pelo governo estadual.

Enquanto o Boletim Epidemiológico atualizado pela Secretaria da Saúde de Guarulhos nesta quinta-feira (25) mostra 7.466 casos confirmados do novo coronavírus, dos quais 538 não resistiram às complicações causadas pela infecção e foram a óbito, o Estado aponta número de casos bem menor, 5.665, e muito mais mortes: 648, com taxa de letalidade de 11,4%. Se for considerado o número de casos declarado pela Prefeitura, a taxa de letalidade passa a ser 8,68%.

Essa disparidade coloca em dúvida a taxa de cura que vem sendo relatada diariamente pela Prefeitura. Nesta quinta-feira, informe da Subsecretaria de Comunicação afirma que a taxa das pessoas contaminadas pela Covid-19 subiu de 82% na semana passada para 85%, pois 6.346 pacientes se recuperaram. Esse número de curados definido pela Prefeitura é superior ao registrado pelo Estado como total de casos confirmados (5.665).

A divergência no total de mortes pode ser decorrente do fato de que muitos residentes em Guarulhos tratam-se em hospitais de São Paulo e, em um ou outro caso, podem ter sido internados em outras cidades. Assim, o governo estadual teria a informação desses óbitos antes que sejam registrados pelo município.

Circulação da Covid-19 por Região de Saúde

O boletim semanal, que mostra a situação epidemiológica da Covid-19 na cidade, revela que a Região de Saúde Centro registrou 815 casos a mais desde a última quinta-feira (18), totalizando 2.525, e com isso é a que concentra mais casos e óbitos, os quais subiram de 138 para 160 – a taxa de letalidade, contudo, baixou de 8% para 6,3%. Já a Região de Saúde Cantareira, que na semana passada contabilizava a mesma quantidade de óbitos que a Região Centro, hoje registra 146 mortes e 2.005 casos confirmados do novo coronavírus. Com isso também teve a taxa de letalidade reduzida, de 9,2% para 7,2%.

A Região de Saúde São João/Bonsucesso se mantém com os números próximos ao da Pimentas/Cumbica. São 1.346 casos e 110 óbitos e 1.373 infectados e 121 mortes, respectivamente. No site da Prefeitura (https://www.guarulhos.sp.gov.br/index.php/unidades-basicas-de-saude-ubs) podem ser conferidos os bairros de cada Região de Saúde. Além disso, 217 notificações de covid-19 atribuídas a Guarulhos não contêm informação sobre o local de residência dos pacientes.

Nesta semana a maior concentração de casos do novo coronavírus está na faixa etária de 40 a 49 anos, com 23,61% dos registros, seguida da população de 30 a 39 anos (25,59%) e de 50 a 59 anos (15,79%), sendo que as três faixas etárias somam 62,99% dos casos. Já 69,71% dos óbitos em decorrência da doença ocorreram em pessoas de 60 a 69 anos (25,28%), com 80 anos ou mais (24,54%) e entre 70 e 79 anos (19,89%).

Óbitos e taxa de ocupação de leitos

Dos novos óbitos registrados nesta quinta-feira (25) em decorrência do coronavírus, 15 são do sexo feminino e 13 do masculino. Todas as vítimas tinham mais de 60 anos e as mortes ocorreram entre 1° e 19 de junho. Uma morte, que ainda terá a causa investigada, foi registrada no Centro de Combate ao Coronavírus (3C-Gru). No local, onde 49 pessoas estão internadas, sendo 19 em UTI, 25 em enfermaria e cinco em observação, dois pacientes foram transferidos e outros sete receberam alta. Com isso, a taxa de ocupação de leitos municipais de UTI está em 69,5% e a de leitos clínicos em 55,5%.

Idosa com comorbidades recuperou-se no HMU

A mãe da recepcionista Maria de Lourdes é uma idosa de 64 anos, cujo nome não foi divulgado pela Prefeitura. Ela é portadora de comorbidades e um dos mais de 6.300 pacientes que venceram a covid-19 em Guarulhos. Ela foi internada no Hospital Municipal de Urgência (HMU) no dia 14 deste mês com suspeita da doença e, no dia seguinte, saiu a confirmação: o teste foi positivo para o novo coronavírus. “Naquele momento confesso que cheguei a perder minhas esperanças, pois tinha noção que o quadro dela era grave devido aos problemas que já apresentava. Mas mantive a minha fé em Deus e confiei em toda equipe de profissionais do HMU, que cuidaram e deram toda atenção para a minha mãe como se fosse a deles”, explica a filha.

Maria de Lourdes conta que desde a recepção, pessoal da limpeza, administração e toda a equipe de enfermagem, a quem chama de “meus anjos de branco”, foram muito atenciosos e prestativos durante os nove dias em que sua mãe permaneceu internada no HMU. “Hoje você internar um familiar e não poder visitá-lo, não poder acompanhar o quadro de perto é muito angustiante e desesperador, mas eu tive a atenção de toda a equipe médica, que todos esses dias entrava em contato comigo para passar o quadro clínico da minha mãe”, conta.

Nesta terça-feira (23) Maria de Lourdes recebeu a ligação da equipe do HMU, dizendo que sua mãe estava curada da Covid-19 e de alta hospitalar. “Hoje me sinto uma vitoriosa, pois consegui trazer minha mãe para casa e curada. Então, o que tenho para passar a todos é que, por mais dolorosa que seja sua causa, jamais perca sua fé, confie em Deus e aprenda a confiar nos anjos de branco que são os profissionais da área da saúde, verdadeiros guerreiros que lidam com um inimigo invisível e devastador como esse vírus, o que não é fácil. A eles, todo o meu respeito”, destacou a recepcionista.

(Inclui texto da Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Guarulhos)