Guarulhos tem 9.208 casos confirmados de Covid-19 e 686 mortes

Diagnóstico laboratorial de casos suspeitos do novo coronavírus (2019-nCoV), realizado pelo Laboratório de Vírus Respiratório e do Sarampo do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), que atua como Centro de Referência Nacional em Vírus Respiratórios para o Ministério da Saúde
 

De acordo com os dados do Boletim Epidemiológico divulgado pela Secretaria da Saúde nesta quarta-feira (1º), desde o início da pandemia do novo coronavírus até o momento Guarulhos soma 9.208 casos confirmados e 686 mortes por Covid-19. Dos novos óbitos contabilizados, dois deles aconteceram em abril e estavam sob investigação. Os demais ocorreram em junho.

Dentre esses óbitos, cinco foram na faixa etária de 40 a 49 anos, nove de pessoas com 50 a 59 anos, seis na população de 60 a 69 anos, nove em idosos de 70 a 79 anos e sete naqueles com 80 anos ou mais, totalizando 17 mulheres e 19 homens.

Taxas de ocupação

O município tem hoje 94 leitos clínicos e 78 leitos de UTI exclusivos para o tratamento de pacientes infectados pelo novo coronavírus, incluindo os que foram locados de hospitais privados. Com isso, a taxa de ocupação na cidade nesta quarta-feira é de 62,82% no que se refere às UTIs para Covid-19 e 78,72% em relação às enfermarias.

Nesta quarta o hospital de Campanha do Centro de Combate ao Coronavírus (3C-Gru) tem 64 pacientes internados, sendo 46 na enfermaria, dois em observação e 16 nas UTIs.

Prevenção

Para evitar a disseminação da Covid-19, a Secretaria da Saúde reforça a importância das medidas preventivas, como usar máscara em locais públicos, lavar as mãos frequentemente com água e sabão ou higienizar com álcool em gel 70%, evitar ambientes com aglomerações e não compartilhar objetos de uso pessoal.

Dados do governo estadual

Aos poucos, os dados divulgados pela Prefeitura quanto a óbitos (686) vão se aproximando dos que são registrados pelo governo estadual: 693.

Quanto ao número de casos confirmados, entretanto, o Município aponta 9.208 e o Estado, 7.118. Esse dado faz toda a diferença na definição da taxa de letalidade: enquanto para a Prefeitura seria de 7,45%, para o Estado seria de 9,7%.