Projeto ensina crianças a brincar com pipas de forma segura

 

Vida em primeiro lugar. Essa sempre foi a essência do projeto ‘Brincando com Pipas’, que atua em Guarulhos pelo terceiro ano – para formar 50 educadores da rede pública de ensino e impactar cerca de 6 mil alunos. O projeto, que nasceu para conscientizar crianças sobre a brincadeira com pipas de forma segura, foi adaptado para o formato online e traz novas abordagens, por conta da quarentena e do momento desafiador, tanto para os alunos como para os educadores. Com abordagem acolhedora e temática voltada também para o autocuidado e saúde emocional, a formação irá compartilhar ferramentas para que os educadores possam se autocuidar e, também, cuidar das crianças quando houver o retorno das aulas presenciais. O ‘Brincando com Pipas’ tem patrocínio da EDP, por meio do Instituto EDP, e é executado pela Evoluir em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Guarulhos.  

Dividido em 3 principais etapas – sensibilização, mobilização e ação – o projeto chega ao seu terceiro ano nas cinco escolas do município, onde teve início em 2018. Para esse ano, a ideia é que a escola desenvolva autonomia para aplicar as atividades dentro de sua grade curricular. Por conta da pandemia da Covid-19, a formação continuada dos professores terá como objetivo, também, a preparação socioemocional dos profissionais para a futura retomada das aulas. “Nesse período, reconhecemos que precisamos oferecer um momento de reflexão e acolhimento para quem cuida, nesse caso, os educadores, para que ele possam se preparar para cuidar dos alunos, afinal o isolamento social afetou nossas vidas em diversas esferas, sendo a emocional uma das mais sensíveis e impactadas. Acreditamos e promovemos a educação integral, que considera os aspectos socioemocionais e a aprendizagem baseada em projetos, com metodologias ativas”, explica a coordenadora de projetos educacionais da Evoluir, Irene Silva. 

O ‘Brincando com Pipas’ surgiu da necessidade de reduzir o alarmante número de casos de acidentes com pipas, entre crianças e adolescentes, que podem ocasionar desde pequenos problemas até óbito devido à descarga elétrica das redes de energia. O projeto estimula, na prática, desde a confecção de uma pipa até o estudo interdisciplinar da brincadeira, além de abordar o uso consciente da energia elétrica e incentivar valores como a ética e a cidadania. Em dois anos de desenvolvimento nas cinco escolas de Guarulhos, a iniciativa já registrou redução de 20% no número de acidentes na cidade. Os alunos participaram de diversas ações de conscientização, como palestras, desenvolvimento de projetos, contação de histórias e, ainda, a realização de uma revoada de pipas, com presença de toda a comunidade escolar, pais e familiares.

Paulo Ramicelli, assessor de diretoria do Instituto EDP, comenta sobre a importância do projeto. “Mesmo durante o isolamento social no qual estamos vivendo, é importante continuar reforçando o trabalho de orientação às crianças e jovens a como praticar essa brincadeira de forma responsável”. E conclui: “quando o isolamento social acabar, esperamos que eles possam se divertir da melhor forma possível, sem colocar suas vidas e as de outras pessoas em risco”. 

Neste ano, as crianças receberão em casa um jogo de tabuleiro com perguntas e desafios que abordam desde dicas para brincar com segurança até curiosidades sobre a origem e os tipos de pipas. A iniciativa contempla alunos do 1º ao 5º ano das escolas públicas Jorge Amado, Vereador Gilmar Lopes, Mário Quintana, Tom Jobim e Professor Edson Nunes Malecka. Com previsão de encerramento em novembro, a formação dos educadores contará com seis módulos, que estimulam o diálogo entre artes, história, ciência e sustentabilidade, além de considerar os aspectos socioemocionais para gerar impacto integral na qualidade da educação e contribuir com o desenvolvimento integral das crianças.

Para a vice-diretora da EPG Prof Edson Nunes Malecka, Maria Angélica Mateus Silva Cajá, o projeto ajudou a escola a reafirmar seu compromisso de ter a criança como protagonista da aprendizagem, além de estimular o convívio e o diálogo entre os alunos, pais e toda a comunidade escolar. “Ao longo do processo, aprendemos a nos escutar mais, a trocar saberes criança/escola/família, e a ter mais cuidado e respeito com o brincar. O trabalho por projeto vai impulsionando as pessoas a saírem da sua zona de conforto e as crianças fazem isso de uma forma sem igual. Quando se abre ao novo e se envolve com a criatividade e o saber da criança, descobrimos que só coletivamente é possível transformar a educação”, afirma.

Principais dicas para empinar pipas de forma segura:

– O uso de cerol (mistura de pó de vidro com cola) é proibido e pode acarretar pagamento de multa pelo responsável. O cerol é um risco para motociclistas e pedestres e oferece perigo no contato com a rede de energia. Ao cortar a camada protetora da fiação, a linha interrompe a transferência de corrente elétrica, podendo provocar curto-circuito;

– Arremessar objetos na rede elétrica para o resgate da pipa pode causar graves acidentes. O “lança-gato” (pedras presas a uma linha) ou qualquer outro item condutor de energia não devem ser lançados sobre a rede;

– Empinar pipas em locais como lajes e muros deve ser evitado. A proximidade com a rede elétrica aumenta o risco de acidentes;

– É expressamente proibido invadir as subestações da EDP para recuperar pipas. Esses locais são energizados e somente pessoas autorizadas podem entrar nas estações;

– Um acidente causado por descarga elétrica pode deixar sequelas como queimaduras e até causar a morte.

Formas de contato para atendimento

Em caso de solicitações ou qualquer anormalidade na rede da Concessionária, os consumidores devem entrar em contato com a EDP, por meio dos seguintes canais:

– Site EDP Online: www.edponline.com.br

– Aplicativo EDP Online (compatível com as plataformas Android™, iOS e Windows Phone)

– Agências de atendimento (o endereço de cada ponto pode ser encontrado no site EDP Online)

– Central de Atendimento ao Cliente: 0800 721 0123 (ligação gratuita, 24 horas/sete dias por semana).


Sobre o Brincando com pipas

Criado e executado pela Evoluir, o projeto Brincando com Pipas tem o objetivo de conscientizar crianças e adolescentes sobre o brincar com segurança, a fim de prevenir acidentes com as redes elétricas. Na prática, a iniciativa estimula desde a confecção de uma pipa até o estudo interdisciplinar da brincadeira, considerando conceitos da física, arte e história, além de abordar o uso consciente da energia elétrica e incentivar valores como a ética e a cidadania.   Com metodologia estruturada nos pilares sensibilização, mobilização e ação, o projeto conta com uma etapa de formação dos educadores para que eles possam desenvolver projetos práticos com os alunos, em sala de aula. E, ainda, dialoga, especialmente, com quatro ODS-agenda 2030 (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) da ONU (Organização das Nações Unidas).