A cada doente de covid, mundo tem dois pacientes recuperados; Brasil chora 100 mil vidas perdidas

 

Quando o mundo tem 19.782.534 casos confirmados e 728.466 mortes atribuídas à covid, o único alento é que o total de recuperados da doença atingiu o dobro do de pacientes em tratamento: 12.703.868 recuperados x 6.350.200 casos ativos.

Essa marca é atingida no mesmo dia em que o Brasil chegou ao triste número de 100.477 óbitos decorrentes da covid. Na proporção da população, são 472 mortes a cada milhão de habitantes. Aos poucos, o Brasil vai se aproximando dos países onde o vírus foi mais cruel: já é o lamentável 11o. nesse ranking. Na América do Sul, o índice só é pior no Peru, 5o., com 625 a cada milhão, e do Chile, 9o., com 525.

Com 3.012.412 casos confirmados, o Brasil tem 2.094.293 pacientes recuperados e 817.642 pessoas em tratamento. Entre essas, outras milhares ainda perderão a vida. E ainda outros tantos milhares irão contaminar-se, se não seguirem as recomendações para que tomem todos os cuidados. A julgar pelo que se vê nas ruas, nos bares lotados, em festas clandestinas, boa parte da população não leva a pandemia a sério e o resultado são dezenas de milhares de novos casos diariamente, que fatalmente resultarão outros milhares de óbitos.

Que essas 100 mil vidas perdidas despertem o sentimento de empatia na população brasileira, que é a capacidade de se colocar no lugar do outro. Mesmo quem acha que não corre perigo, que não teme ser contaminado, deve usar máscara, em respeito ao direito dos outros de se proteger.

Nos dois mutirões de testes rápidos para covid-19 realizados pela Prefeitura de Guarulhos, na quinta e sexta-feira (dias 6 e 7) no Bosque Maia, 4.009 amostras foram coletadas. Desse total, 510 apresentaram resultado positivo para o novo coronavírus, o que representa 12,7 % das pessoas examinadas, as quais serão acompanhadas pela equipe profissional da Unidade Básica de Saúde onde são cadastradas.

Eram, portanto, 510 pessoas que não sabiam que estavam contaminadas e, assim, podiam estar contaminando muitas outras. Quantos mais podem estar infectados, espalhando o vírus, sem saber? Ninguém deve carregar na consciência a culpa de transmitir a doença a alguém. Precavenha-se, tome cuidado, use máscara, lave as mãos várias vezes, use álcool em gel, higienize as compras de supermercado e as que sejam entregues em seu domicílio; não entre em casa com o mesmo calçado que usou nas ruas ou em outros ambientes. São muitas as formas de prevenção e todas devem ser seguidas, mesmo por quem não acredita na gravidade da covid-19. Seja consciente e ajude a salvar vidas.

Valdir Carleto