Especialista mostra déficit de moradia popular em Guarulhos

Entrega de 528 novas moradias do programa de habitação de interesse social do Governo Federal, em São Sebastião, Distrito Federal
 

Um levantamento feito pela startup Sonhocasa em Guarulhos revelou que faltam imóveis e sobram pessoas interessadas em comprar a casa própria pelo programa Minha Casa Minha Vida. A conclusão é que existem apenas pouco mais de 100 imóveis, mas com valores acima da faixa entre R$ 120 mil e R$ 240 mil, que atendem famílias com renda de R$ 2.600 mensais. De acordo com Bruno Guedes, um dos diretores da Sonhocasa, o custo alto dos terrenos é a justificativa das incorporadoras para a reduzida oferta de moradia popular na cidade. Ele atua há mais de 20 anos no mercado de construção civil, com foco em habitações populares.

Saiba mais sobre a Sonhocasa

A empresa foi criada há um ano para conectar potenciais compradores de moradia popular às diversas oportunidades nas construtoras. A startup imobiliária ajuda quem quer sair do aluguel e deseja adquirir um imóvel, facilitando o acesso às vantagens do programa do governo federal MInha Casa Minha Vida. A empresa dá assessoria e educação financeira para os compradores de forma gratuita, sendo remunerada pela construtora, se o negócio for fechado.

Até agora, a nova empresa já atendeu mais de 3 mil pessoas e tem 16 mil imóveis em SP para venda, com entrada a partir de R$ 200. Os valores dos imóveis variam entre R$ 120 mil e R$ 240 mil. Por enquanto, a Sonhocasa atua apenas na cidade de São Paulo e nas Regiões Metropolitanas. Mais informações em www.sonhocasa.com.br