Cai número de novos casos e de óbitos por covid em Guarulhos

 

O Click Guarulhos comparou os dados divulgados nesta quinta-feira pela Prefeitura com as informações de uma semana atrás e também com os da semana anterior. Leia a conclusão ao final.


Dados da Vigilância Epidemiológica Municipal desta quinta-feira (05/11/2020):
 

Casos confirmados – 29.223

Total de óbitos – 1.538 confirmados e três em investigação

Total de recuperados – 27.194

Taxa de cura – 93%

Taxa de letalidade – 5,26%

Taxa de ocupação de leitos de UTI em hospitais públicos de Guarulhos: 56,7%

Taxa de ocupação de leitos de enfermaria em hospitais públicos de Guarulhos: 60,9%

Taxa de ocupação de UTIs da Grande São Paulo: 42,3% *disponibilidade conforme sistema Cross

COMPARANDO COM OS DADOS DE UMA SEMANA ATRÁS

Situação na quinta-feira, 29.10

Casos confirmados – 28.748

Total de óbitos – 1.529 confirmados e três em investigação

Total de recuperados – 26.741

Houve 475 novos casos entre 29.10 e 05.11: média diária de 67,85
Houve 453 recuperados entre 29.10 e 05.11: média diária de 64,71
Houve 9 óbitos; mortes em investigação permaneceram sendo três

COMPARANDO OS DADOS DAS DUAS SEMANAS ANTERIORES

Situação na quinta-feira, 22.10

Casos confirmados – 27.889

Total de óbitos – 1.514 confirmados e cinco em investigação

Total de recuperados – 25.913

Houve 859 novos casos entre 22.10 e 29.10: média diária de 122,7
Houve 828 recuperados entre 22.10 e 29.10: média diária de 118,28
Houve 15 óbitos, mas redução de dois em investigação = 13 óbitos em uma semana

CONCLUSÃO

A situação da covid em Guarulhos agora é menos preocupante do que há duas semanas, pois vinham ocorrendo média diária de 122,7 novos casos detectados e praticamente dois óbitos a mais por dia. Já nos últimos sete dias, a média diária de novos casos caiu para 67,85.
Embora cada morte seja lamentável, os óbitos caíram de 15 para 9 em uma semana.
Um dado negativo é que o número de pacientes recuperados a cada semana continua sendo inferior ao de novas pessoas contaminadas.

foto ilustrativa: Fábio Nunes Teixeira (PMG)