Cães farejadores apreenderam quase 3 toneladas de drogas

 

Desde sua inauguração como batalhão, em 26 de agosto de 2019, o Canil do 5º Batalhão de Polícia de Choque (BPChq) já apreendeu mais de 2,9 toneladas de drogas com apoio dos cães farejadores. O batalhão atua com objetivo de combater a criminalidade no estado, principalmente contra o tráfico de drogas e o crime organizado.

“Somos o Órgão Gestor do Conhecimento na Polícia Militar do Estado de São Paulo, responsável pela organização e doutrina no emprego dos cães policiais em todo o Estado. Além da atividade operacional, ainda somos responsáveis pela aplicação e fiscalização das ações de bem-estar e saúde animal.”, ressalta o capitão PM Lemos, porta-voz do 5º BPChq – Canil.

Atualmente a unidade conta com 44 cães atuando nas funções de detecção de drogas, identificação de explosivos, imobilização de infratores, busca de pessoas perdidas em mata e captura de procurados pela Justiça. Os animais são selecionados com base em características especificas e adequadas ao desempenho da função almejada.

Com foco na apreensão de drogas destacam-se os cães Aruck e Tank e as cadelas Doris e Debby, que juntos são responsáveis por 90,7% das apreensões realizadas pelo Canil do 5ºBPChq, até 31 de outubro deste ano. “Estas equipes integram os grupos que fazem incursões em locais apontados pela análise criminal e solicitações de unidades territoriais, como prováveis pontos de atividade criminosa vinculada ao tráfico de drogas”, explica o porta-voz.

Conheça um pouco sobre os integrantes do Canil que se destacaram nesse período:

Cão Aruck

O cão Aruck chegou ao 5ºBPChq em julho de 2014, quando o batalhão ainda funcionava como unidade subordinada. Hoje, com 7 anos de idade, o farejador de raça Pastor-Holandês foi responsável pela localização de 1.057,1 quilos de entorpecentes – somados desde 26 de agosto do ano passado.

Uma de suas ações de destaque ocorreu em maio deste ano, durante operação em uma comunidade na zona norte da Capital. Na ocasião ele auxiliou as equipes na identificação e apreensão de 112 quilos de drogas e 50 munições .380 em um imóvel abandonado.

Cão Tank

Recém-chegado ao batalhão, o cão Tank, de 2 anos de idade, já auxiliou as equipes na apreensão 1.025,9 quilos de drogas durante seus últimos 14 meses de atuação na casa. Com destaque a uma segunda ocorrência, também realizada durante a operação na zona norte da Capital, o cão de raça Pastor-Belga Malinois identificou 962 quilos de entorpecentes e dois carregadores de fuzil durante a ação.

Cadela Doris

Com seus 5 anos de idade a cadela Doris apreendeu mais de 472 quilos de entorpecentes entre os meses de agosto de 2019 e outubro de 2020 junto ao 5ºBPChq.  A farejadora, de raça Pastor-Belga Malinois, chegou ao Canil há cinco anos e desde então auxilia as equipes policiais em ações relacionadas ao tráfico de drogas.

Uma de suas principais ocorrências foi realizada em apoio ao 4º Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep) e resultou na apreensão de 63 quilos de drogas, mais de R$198 mil, três armas de fogo e munições em um imóvel na zona leste de São Paulo.

Cadela Debby

Também com cinco anos de atuação no 5ºBPChq, Debby foi responsável pela identificação de 137,8 quilos de drogas nos últimos 14 meses. A cadela, que tem 5 anos de idade e é de raça Pastor-Belga Malinois, se destacou por sua colaboração com duas ocorrências realizadas em apoio à Polícia Rodoviária Federal, em Mairiporã. Debby localizou 2 mil papelotes de cocaína no fundo falso de um veículo e mais 42 quilos de maconha em outro carro.

Além dos 40 cães presentes no 5º BPChq, a Polícia Militar do Estado de São Paulo também conta com o apoio de outros 258 cães distribuídos em 27 unidades setoriais pelo estado. Todos passam por processos de treinamento e adestramento para serem qualificados às funções desempenhadas, com objetivo de auxiliar no combate à criminalidade e zelar pela segurança da população.