Mais de 3 mil mutuários da CDHU regularizam dívidas contraídas durante pandemia

O governador Geraldo Alckmin durante entrega de 368 Unidades Habitacionais construídas pela CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano) para famílias de baixa renda. DATA: 28/12/2013 LOCAL: Osasco/SP FOTO: EDSON LOPES JR/A2 FOTOGRAFIA
 

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), vinculada à Secretaria de Estado da Habitação, regularizou a situação financeira de 3.046 mutuários que ficaram inadimplentes no ano passado em razão da Covid-19 e aderiram ao acordo oferecido pela Companhia para quitar suas dívidas com isenção de multa, juros e correção.

Deste total, 2.130 mutuários optaram por quitar os débitos à vista com isenção de multa e juros por atraso. Outros 916 mutuários preferiram pelo parcelamento da dívida, sem cobrança de entrada e também de multa e juros por atraso, sendo que o pagamento da primeira parcela tem carência de 30 dias. Os valores renegociados atingiram R﹩ 2,4 milhões, que serão reinvestidos pela companhia na construção de mais moradias populares.

Essas condições especiais foram oferecidas a um total de 11.970 mutuários que estavam em dia com suas prestações até dezembro de 2019, mas que por conta da pandemia deixaram de pagar suas prestações a partir de 2020. Os mutuários que seguem com seus débitos abertos e se encaixam nestas condições oferecidas pela CDHU ainda podem aderir ao acordo. Para obter mais informações, o interessado deve acessar o site www.cdhu.sp.gov.br ou ligar para o Alô CDHU (0800 000 2348).

O secretário de Estado da Habitação, Flavio Amary, ressaltou a importância dessa ação de regularização dos débitos promovida pela CDHU. “Além de ajudar os mutuários a preservar seu bem maior, que é a casa própria, essa medida também garante a recuperação de recursos que serão aplicados na construção de mais moradias populares”. O secretário destacou, porém, que a maioria dos contratos administrados pela Companhia está adimplente.

Para Reinaldo Iapequino, presidente da CDHU, “o objetivo do programa habitacional de interesse social do governo do Estado é garantir moradia digna às pessoas que mais precisam. É justamente essa parcela de mutuários a mais afetada pela crise e que agora passa a receber um atendimento diferenciado por parte da CDHU para ajudar a superar este momento de dificuldade”, explicou.