Prefeitura de SP antecipa 5 feriados para conter avanço da Covid na cidade

 

A Prefeitura de São Paulo decidiu antecipar cinco feriados municipais a partir do dia 26 de março e alterar o horário de funcionamento do rodízio de carros na cidade para tentar conter o avanço de casos de Covid-19.

O rodízio de veículos será das 20h às 5h a partir de segunda, dia 22 de março. Com isso, os horários tradicionais de rodízio, das 7h às 10h, e das 17h às 20h, estão liberados.

Dois feriados são deste ano, e outros três, de 2022. O anúncio foi feito pelo prefeito Bruno Covas (PSDB) em coletiva virtual no início da tarde desta quinta-feira (18).

Serão antecipados para os dias 26, 29, 30 e 31 de março e 1° de abril os feriados de Corpus Christi de 2021 e 2022, da Consciência Negra de 2021 e 2022, além do aniversário da cidade de 2022.

Datas dos novos feriados:

  • 26/03 – sexta-feira
  • 29/03 – segunda-feira
  • 30/03 – terça-feira
  • 31/03 – quarta-feira
  • 1°/04 – quinta-feira

A medida visa reduzir a circulação de pessoas nas ruas e mira setores da indústria e empresas que ainda seguem funcionando durante a fase emergencial, em vigor em todo o estado desde a última segunda-feira (15).

“Vamos antecipar os dois feriados municipais que temos esse ano e os três municipais que temos em 2022 para que a gente possa reduzir a circulação de pessoas. Esses cinco feriados serão antecipados para os dias 26, 29, 30, 31 e dia 1°, juntando, inclusive, com o feriado nacional, que nós temos na sexta-feira (2)”, afirmou Covas.

“Portanto, nós teremos um prazo que vai de sexta-feira, dia 26, até dia 4 de abril, domingo, sem dia útil, para poder exatamente forçar a cidade a parar”, completou o prefeito.

Não é a primeira vez que a gestão de Covas decide antecipar feriados como estratégia para frear a contaminação pelo coronavírus.

Em julho de 2020, a gestão Covas antecipou os feriados de Corpus Christi e o da Consciência Negra.

Mais cedo, em entrevista à GloboNews, o prefeito afirmou que a capital paulista não tem efetivo de segurança para implementar medidas restritivas mais rígidas.