Profissionais da educação começam a ser vacinados em São Paulo

 

A vacinação de profissionais da educação no estado de São Paulo começou hoje. Para representar a data, a merendeira Silmara Cristina da Silva de Moraes recebeu a primeira dose da CoronaVac.

Ela atua na escola Raul Brasil, em Suzano, na região metropolitana de São Paulo. A unidade de ensino foi alvo de um ataque em 2019. Silmara

“A merendeira Silmara Moraes foi a primeira servidora da Educação a ser vacinada. No fatídico episódio em 2019 aqui na Raul Brasil, Silmara acolheu vários alunos na cozinha no momento do tiroteio, salvando a vida deles”, disse o secretário estadual da Educação, Rossieli Soares, que acompanhou o ato com o governador João Doria (PSDB).

Com a nova etapa da imunização contra a Covid-19, o governo paulista pretende vacinar 350 mil trabalhadores com 47 anos ou mais e que atuam em unidades públicas e particulares de ensino infantil e básico.

A campanha vai imunizar secretários, auxiliares de serviços gerais, faxineiras, mediadores, merendeiras, monitores, cuidadores, diretores, vice-diretores, professores de todos os ciclos da educação básica, professores coordenadores pedagógicos, além de professores temporários.

Para ser vacinado, cada profissional precisa apresentar o comprovante VacinaJá Educação, além de RG e CPF para conferência dos dados. Se a pessoa não apresentar o comprovante VacinaJá Educação ou o número de CPF não constar na documentação, ela não poderá receber a vacina até regularizar o cadastro.

Até este sábado, foram cadastrados 519.208 profissionais. Destes, 264.353 foram validados para a imunização.

O formulário de cadastro está disponível no site vacinaja.sp.gov.br/educacao e deve ser preenchido com número do CPF, nome completo e e-mail. Um link será enviado ao e-mail indicado, e a validação é obrigatória para conclusão do cadastro.

É extremamente importante que o profissional verifique se a mensagem com o link foi recebida normalmente na caixa de entrada ou então transferida automaticamente para a pasta de lixo eletrônico. Se a mensagem estiver na pasta de itens indesejados, basta transferi-la para a de itens principais.

No passo seguinte, o profissional deve confirmar dados pessoais e apontar nome da escola em que atua, rede de ensino, município e cargo que ocupa. Para evitar fraudes, o sistema também exige envio dos contracheques dos meses de fevereiro e março deste ano.

Quando o cadastro é validado, o profissional recebe por e-mail o comprovante VacinaJá Educação. O documento tem um QR Code para verificação de autenticidade. Para quem não receber o e-mail, a opção é entrar no site com o número do CPF e imprimir o comprovante.

Homenagem e reforma

A Escola Raul Brasil ganhou espaços artísticos em homenagem à memória aos cinco alunos e dois funcionários mortos durante um ataque a tiros no local, em 13 de março de 2019. O artista brasileiro Eduardo Kobra e sua equipe pintaram painéis internos e os muros externos da escola para reverenciar as vítimas e promover a cultura da paz.

Já a reforma assegurou novas salas de aulas, Centro de Ensino de Línguas (CEL), banheiros acessíveis, salas de leitura, informática e cantina. No prédio principal, também foi construído um Espaço de Inovação com laboratório equipado com 47 notebooks, SmartTV e impressora 3D.

A unidade de ensino também passa a contar com a quadra poliesportiva e uma área de 1,5 mil metros quadrados com paisagismo, além de um espaço destinado à prática de esportes, aulas ao ar livre e bicicletário.

A reforma foi iniciada em outubro de 2019 e custou R$ 3,1 milhões, dos quais R$ 2,7 milhões patrocinados por empresas parceiras, através do Instituto Ecofuturo. O governo de São Paulo investiu outros R$ 400 mil para finalização da obra e aquisição de mobiliário.