quinta-feira, 24 de junho de 2021
InícioCANAISCOMPORTAMENTO92% das mães em home office são responsáveis pelos filhos, diz pesquisa

92% das mães em home office são responsáveis pelos filhos, diz pesquisa

Pesquisa feita pela Catho mostra que 92% das mulheres que estão em home office também são as responsáveis pelos filhos, que também estão em casa neste período.

Dos 6 mil profissionais entrevistados na segunda quinzena de abril, todos com filhos, 15,5% estão trabalhando em casa e 71% estão tendo que ir para o local de trabalho.

Das mães que trabalham fora, 69% deixam seus filhos com outras pessoas, 19% com os pais e 12% em uma escola ou creche. Já entre os pais que trabalham fora, 58% deixam os filhos com as mães, 36% com outras pessoas e 6% em uma escola ou creche.

Para Regina Botter, diretora de Operações da Catho, essa é uma rotina de grande parte dos brasileiros.

“O número de mães solo no país chega a mais de 11 milhões. São mulheres provedoras do lar que estão sentindo as dificuldades relativas ao cuidado e a sobrecarga de tarefas potencializadas pela pandemia”, diz. “Os dados mostram que tanto no home office, quanto trabalhando fora, a mulher acaba sempre sendo a maior responsável pelo cuidado dos filhos. Lembrando que quando pais ou mães deixam os filhos com terceiros, geralmente são com avós ou tias. Ou seja, outras mães”.

Segundo a pesquisa da Catho, um terço das mulheres entrevistadas cuidam dos seus filhos sozinhas. São chefes de família que precisam se desdobrar para conciliar trabalho, filhos, falta de dinheiro e piora da saúde psicológica. Nesse grupo entram tanto profissionais em home office quanto em trabalho presencial e também desempregadas.

“Com a pandemia e as incertezas no ambiente profissional, com certeza, as mães são as que mais estão sofrendo”, diz Regina.

“Além da enorme quantidade de mulheres que perderam o trabalho, tem também as que precisaram pedir demissão, pois não tinham com quem deixar os filhos e as que entraram em regime de home office e precisaram conciliar os afazeres profissionais com as tarefas domésticas e o cuidado das crianças, que durante a pandemia, estão em casa durante todo o dia”, esclarece a diretora de Operações da Catho.

A pesquisa da Catho mostra ainda que 40% das mães que trabalham na área da saúde deixaram de conviver com os seus filhos para evitar a transmissão da Covid-19.

Regina Botter explica que nesse momento é importante uma rede de apoio à mulher. “Muitas vezes, uma profissional de saúde passa 12 horas em um plantão e mais de uma ou duas horas no deslocamento até em casa, tendo apenas um terço do dia para conviver com o seu filho. E é nesse momento que os amigos e familiares precisam se fazer presentes e formar a tão famosa rede de apoio” diz.

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

SIGA/CURTA

28,891FãsCurtir
1,510SeguidoresSeguir
1,372SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever

VEJA TAMBÉM

Escolas de Guarulhos oferecem alimentação nutritiva e balanceada

As escolas de rede municipal de Guarulhos são reconhecidas pela qualidade da alimentação servida aos alunos. Com a pandemia e o fechamento das unidades...

Conheça 5 golpes cibernéticos mais comuns direcionados a adolescentes e saiba como se...

Embora os adolescentes não sejam tão impressionáveis ​​quanto as crianças, eles ainda podem estar sujeitos a várias influências externas. Nesse sentido, é possível que...

Marcos Pontes pede integração do continente para vencer a pandemia

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, afirmou que é necessário um movimento regional no continente para vencer a covid-19. Pontes participou,...

Casa Civil faz balanço dos 900 dias do governo Bolsonaro

O governo federal divulgou, por meio da Casa Civil, um balanço dos 900 dias de governo, com destaque para as ações desenvolvidas nos últimos...

GCM atende 49 denúncias de aglomeração com 1.200 envolvidos no fim de semana

Neste final de semana, entre sexta-feira (18) e domingo (20), a Guarda Civil Municipal (GCM) de Guarulhos recebeu 49 denúncias de aglomeração e perturbação ao sossego público, que...