quinta-feira, 24 de junho de 2021
InícioECONOMIACom pandemia, Brasil tem queda de 26% no comércio de serviços em...

Com pandemia, Brasil tem queda de 26% no comércio de serviços em 2020

O Brasil registrou queda de 26% na corrente de comércio de serviços em 2020 na comparação com o ano anterior. O indicador é resultado da soma de importações e exportações do setor.

O valor, que em 2019 foi de US$ 95 bilhões, caiu para US$ 75 bilhões em 2o20. O valor ficou distribuído da seguinte forma:

  • Exportações de serviços: US$ 28 bilhões, queda de 17% em relação a 2019;
  • Importações de serviços: US$ 47 bilhões, queda de 31% em relação a 2019.

As informações são de levantamento da CNI (Confederação Nacional da Indústria), com base em dados da OMC (Organização Mundial do Comércio). Eis a íntegra do estudo (2,7 MB).

No mundo, o comércio de serviços totalizou US$ 9,6 trilhões, o menor patamar desde 2013. O recuo foi de 19,9% em 2020 em relação a 2019. A principal explicação é o impacto da crise causada pela covid-19.

Segundo a pesquisa, a diminuição no volume de comércio de serviços no Brasil ficou acima da média registrada pelos países do G20, de 18%. O grupo das 20 maiores economias do mundo comercializou US$ 8,8 trilhões em serviços em 2020, e US$ 10,8 trilhões em 2019.

Os Estados Unidos, maior exportador e importador mundial de serviços, registrou queda de 22% no período. A China, redução de 16%.

“O resultado do comércio brasileiro de serviços, além representar uma queda mais acentuada que a registrada pelo G20 e pelo mundo, é também o pior da década. O menor valor até agora nos últimos 10 anos havia sido o de 2016, de US$ 94 bilhões”, afirma a pesquisa.

A corrente de comércio de serviços inclui itens como aluguel de equipamentos, seguros, serviços de propriedade intelectual, de telecomunicação, financeiros, culturais e de arquitetura e engenharia, entre outros.

Por causa da pandemia, a queda no comércio brasileiro de serviços foi maior do que a do comércio de bens, setor que registrou baixa de 8,2% em 2020, comparando com 2019. Os números refletem o impacto maior nas áreas de transporte, manutenção de equipamentos e outros associados ao setor de turismo.

O gerente de Políticas de Integração Internacional da CNI, Fabrizio Sardelli Panzini, afirma que as exportações de serviços do Brasil são muito dependentes da economia dos Estados Unidos e da União Europeia. “Como esses países também enfrentaram restrições e queda em sua atividade econômica, nosso comércio de serviços caiu em decorrência disso também”, declarou.

O Brasil responde por 0,6% das exportações mundiais de serviços. No ranking mundial, está na 32ª posição.

Para Panzini, a ampliação da participação do Brasil no comércio global de serviços depende de “aspectos tributários e de decisão do Poder Executivo”.

“De um lado, o modelo brasileiro de Acordos para Evitar Dupla Tributação tributam de forma mais acentuada o comércio de serviços, sobretudo nas importações e nos afasta do modelo de tratado da OCDE. Por outro lado, o Brasil é o país com maior número de tributos sobre o comércio de serviços no mundo e possui uma das maiores cargas tributárias na importação de serviços”, afirma a CNI em comunicado.

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

SIGA/CURTA

28,891FãsCurtir
1,510SeguidoresSeguir
1,372SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever

VEJA TAMBÉM

Projeto EducaDança retoma as aulas presenciais nesta terça

Após garantir que todos os protocolos sanitários serão cumpridos para assegurar a segurança de alunos e professores, o Projeto EducaDança retomou as aulas presenciais...

Inverno começa nesta segunda-feira no Hemisfério Sul

O inverno no Hemisfério Sul começa às 0h32 (horário de Brasília) de hoje (21), quando ocorre o solstício de inverno. Caracterizada pelas baixas temperaturas e redução...

Quem está em atraso com a CDHU pode pagar em parcelas

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), empresa pública vinculada à Secretaria de Estado da Habitação, enviou à casa de 32.763 mutuários com...

ACE-Guarulhos promove live com Guilherme Afif, assessor do Ministério da Economia

A Associação Comercial e Empresarial de Guarulhos (ACE-Guarulhos) vai promover uma live com o assessor do Ministério da Economia, Guilherme Afif Domingos, na próxima...

Prefeitura abre inscrições para curso sobre desenvolvimento na internet

A Subsecretaria de Juventude (SJ) de Guarulhos, em parceria com a UNG – Univeritas Guarulhos, abriu vagas para cinco cursos gratuitos do projeto Bootcamp...