sexta-feira, 18 de junho de 2021
InícioCLIMACheia recorde: Rio Negro atinge 30 metros e ultrapassa em 3 cm...

Cheia recorde: Rio Negro atinge 30 metros e ultrapassa em 3 cm a maior enchente em 119 anos

O nível do Rio Negro alcançou 30 metros neste sábado (5), ultrapassando em 3 centímetros a cota recorde registrada no ano de 2012. Com isso, Manaus registra a maior cheia da história, desde o início dos registros em 1902.

Na capital, mais de 24 mil famílias foram prejudicadas pela inundação em pelo menos 15 bairros, de acordo com a Defesa Civil. Em diversos pontos, a circulação de pessoas ocorre somente por meio de passarelas.

O centro histórico registra vários pontos de alagamento. A Praça do Relógio e o prédio da Alfândega estão entre os locais mais atingidos.

A água do rio Negro também invadiu o local onde funcionava a mais tradicional feira da capital, a Manaus Moderna. Como isso, os feirantes foram transferidos para uma balsa.

Comerciantes relatam prejuízos. Lojistas tiveram os estabelecimentos alagados, mesmo com as contenções para impedir a entrada da água.

Maiores cheias do Rio Negro

  • 2021 – 29,98 m
  • 2012 – 29,97 m
  • 2009 – 29,77 m
  • 1953 – 29,69 m
  • 2015 – 29,66 m
  • 1976 – 29,61 m
  • 2014 – 29,50 m
  • 1989 – 29,42 m
  • 2019 – 29,42 m
  • 1922 – 29,35 m
  • 2013 – 29,33 m

O novo recorde da cheia do Rio Negro foi batido no dia 1ª de junho, quando o nível chegou a 29,98 metros, ultrapassando em 1 centímetro o recorde de 2012.

A previsão do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) era que o rio chegasse à cota máxima de 30 metros A expectativa é que, agora, o nível do rio comece abaixar.

De acordo com o órgão, abaixo dos 27 metros o nível do rio é considerado em patamar normal.

Cidades em situação crítica

Em praticamente todo o Amazonas, a cheia causa inundações. De acordo com dados da Defesa Civil, mais de 400 mil pessoas estão afetadas. Das 62 cidades, 48 estão em situação de emergência.

Em Parintins, por exemplo, o Rio Amazonas já registra a maior cheia da história. Ruas principais da cidade registram pontos de alagamento. Nas comunidades rurais, produtores contabilizam perdas de safras inteiras por conta da inundação das produções.

Em Itacoatiara, vários bairros da cidade estão com as ruas inundadas desde o mês de março. Por conta disso, comerciantes relatam aluguéis atrasados e mercadorias estragam em contato com a água.

Em Manacapuru, na Região Metropolitana, a cheia também é considerada histórica. O Rios Solimões atingiu neste sábado (5), a marca de 20,80 metros, superando o recorde de 2015 em 2 centímetros.

Já em Anamã, a situação é ainda mais crítica. O município, a 165 quilômetros de Manaus, recebeu uma balsa hospital para atender a população depois que a subida do rio Solimões alagou o Hospital Francisco Salles de Moura e os atendimentos foram suspensos. São 9.570 pessoas afetadas.

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

SIGA/CURTA

28,891FãsCurtir
1,510SeguidoresSeguir
1,375SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever

VEJA TAMBÉM

Brasil adere a acordo dos EUA para exploração pacífica do espaço

O Brasil assinou hoje (15), em uma cerimônia no Palácio do Planalto, o acordo de adesão ao programa Artemis, liderado pelos Estados Unidos (EUA)...

Trabalhadores nascidos em setembro podem sacar o auxílio emergencial

Os trabalhadores informais e inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) nascidos em setembro podem sacar, a partir desta segunda-feira...

Mesmo com manifestação contrária do TSE, deputados articulam aprovação do ‘distritão’

Mesmo com críticas de especialistas e ressalvas feitas pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, deputados tentam aprovar o chamado "distritão". Por esse modelo, são eleitos...

Campanha do Agasalho conta com 86 pontos de arrecadação espalhados por Guarulhos

O empresariado de Guarulhos arregaçou as mangas para ajudar a diminuir o sofrimento daqueles que não têm como se aquecer na época do frio...

Festa clandestina no Centro de Guarulhos é interrompida

Chamada por vizinhos, a GCM (Guarda Civil Municipal) fez interromper na noite de sexta-feira, 11, uma festa clandestina que estava sendo promovida no "Deck",...