sábado, 27 novembro 2021
- PUBLICIDADE -
InícioCIDADEEDUCAÇÃOSuperdotado consegue na Justiça direito de se matricular em universidade antes de...

Superdotado consegue na Justiça direito de se matricular em universidade antes de terminar o ensino médio

Um laudo atestando altas habilidades/superdotação permitiu que Leonardo Viscainho Francisco, de 17 anos, fosse matriculado na universidade antes de concluir o ensino médio. Para isso, a família precisou entrar com ação na Justiça, já que a legislação prevê a obrigação de concluir a educação básica antes de entrar no ensino superior.

O caso correu na 14ª Vara Cível de São Paulo. A decisão favorável foi dada pelo juiz Christopher Alexander Roisin. Ela permite que o aluno, aprovado em 9° lugar no curso de Publicidade e Propaganda da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), faça faculdade enquanto termina o ensino médio no Colégio Petrópolis, em São Bernardo do Campo.

Os termos altas habilidades/superdotação são usados para se referir a pessoas que têm aprendizagem acima da média. De acordo com o Censo Escolar 2020, há 24 mil estudantes com estas condições nas escolas do país.

A identificação é feita por meio de testes psicológicos e avaliação de conhecimentos, que geralmente levam meses para serem concluídas.

No caso de Leonardo, um histórico escolar com boas notas, a participação em olimpíadas de conhecimento como as de matemática (medalhas de prata e bronze), olimpíadas de ciência e de língua portuguesa, e atividades extras, como dar aulas a outros estudantes, ajudaram na avaliação a tempo de garantir a matrícula no prazo.

“A Lei de Diretrizes e Bases (LDB) proíbe que se entre na faculdade sem certificado de conclusão do ensino médio, mas a Constituição permite acesso ao ensino de acordo com a capacidade do aluno”, afima Claudia Hakim, advogada da família.

“O boletim dele só tinha nota 10. O aluno fazia parte de olimpíadas de conhecimento. Havia todos os indícios da capacidade dele de seguir os estudos”, afirma.

Leonardo conta que sempre teve facilidade com matemática e química e que conseguia tirar boas notas só acompanhando as aulas, sem precisar estudar em casa. A mãe do estudante, Vanessa Viscainho Francisco, fala que o filho sempre teve bolsa de estudo por mérito, dada a quem se destaca nas aulas.

Agora, Francisco deverá fazer as aulas do terceiro ano do ensino médio, que no colégio onde estuda é revisão dos conteúdos do primeiro e segundo ano, ao mesmo tempo em que cursa o primeiro ano da graduação.

“Vou precisar fazer os dois juntos. Mas acho legal, porque não perco a finalização da escola, mas era muito interessado em entrar na faculdade agora. A escola já estava leve, muitas coisas [das aulas] não estava usando, então acho que será bom focar em algo que goste muito e acompanhar escola, que só faz revisão”, afirma.

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

SIGA/CURTA

28,891FãsCurtir
1,510SeguidoresSeguir
1,491SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever

VEJA TAMBÉM

Centro de exposições na Vila Galvão recebe mostra da artista plástica Kika Goldstein

Entre os dias 27 de novembro e 27 de fevereiro de 2022, de terça-feira a domingo, o Centro de Exposições de Arte Prof. José Ismael, na Vila Galvão, recebe a...

Estado de SP tem pouco mais de mil pacientes por covid em UTIs

O Estado de São Paulo registra neste sábado (20) 4.430.190 casos de covid-19 durante toda a pandemia e 153.460 óbitos. Nas últimas 24h foram...

Conta de luz deve subir mais de 20% no ano que vem, estima Aneel

A conta de luz vai continuar aumentando no ano que vem. De acordo com documentos oficiais do governo e do setor elétrico, a projeção...
Eleição OAB Guarulhos

Eleições na OAB Guarulhos: veja as propostas e a composição das três chapas

As eleições para os cargos diretivos da 57a. Subsecção da OAB acontecem nesta quinta-feira, 25/11, na UNG Universidade Guarulhos, entrada pela rua Nilo Peçanha,...

OMS vê risco de mais 500 mil mortes por Covid-19 na Europa

A OMS (Organização Mundial da Saúde) se mostra preocupada com o aumento dos casos de Covid-19 na Europa. O diretor regional da organização, Hans Kluge, disse...