domingo, 26 setembro 2021
InícioCIDADESAÚDECom falta de AstraZeneca, Saúde diz que SP usou vacinas de 2ª...

Com falta de AstraZeneca, Saúde diz que SP usou vacinas de 2ª dose como 1ª

Diante da falta de vacina AstraZeneca nos postos da cidade de São Paulo, um novo imbróglio entre o governo de São Paulo e o Ministério da Saúde veio à tona, com troca de acusações e diferentes versões para o problema.

A prefeitura da capital paulista pediu ao governo estadual para receber novas remessas de doses. Mas o estado afirmou ter enviado a quantidade prevista, cobrando o Ministério da Saúde por mais doses e até ameaçando ir ao STF (Supremo Tribunal Federal).

Desde o início da campanha de vacinação, em janeiro, o governo federal tem dito que as quantidades de doses prometidas podem mudar —tanto para mais como para menos—, porque dependem da entrega pelas fabricantes, que estão envasando doses para vários países do mundo.

O Brasil compra vacinas da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), responsável pela AstraZeneca, do Instituto Butantan, que faz a CoronaVac, e da Pfizer.

Recentemente, a Fiocruz não recebeu as quantidades esperadas de novos lotes de IFA (Insumo Farmacêutico Ativo), vindos da China e necessários para fabricar a vacina da AstraZeneca. Isso teria prejudicado a previsão de envio do ministério aos estados. Só que este não foi o argumento usado pelo Ministério da Saúde para justificar o desabastecimento.

O Ministério da Saúde diz que “não deve segunda dose de vacina contra a Covid-19 da AstraZeneca ao estado de São Paulo” e que foram utilizadas vacinas destinadas à segunda dose como se fossem para a primeira.

Até o momento, foram entregues ao estado 12,4 milhões de dose 1 e 9,2 milhões de dose 2 da AstraZeneca. “Os 2,8 milhões de doses não foram enviados porque o prazo de intervalo entre a primeira e segunda dose só se dará no final do mês. Dados inseridos por São Paulo no Localiza SUS mostram que o estado utilizou como primeira dose vacinas destinadas à dose dois. O estado aplicou 13,99 milhões de doses 1 e 6,67 milhões de dose 2”, disse a pasta. “O ministério reitera que as alterações nas recomendações do Programa Nacional de Imunizações (PNI) acarretam na falta de doses para completar o esquema vacinal na população brasileira.

Por isso, o Ministério da Saúde alerta mais uma vez para que estados e municípios sigam o Plano Nacional de Operacionalização”, afirmou.

‘Ninguém guarda dose’, diz secretário

Eduardo Ribeiro, secretário-executivo de Saúde, responsável pela logística de vacinas no estado, afirma que São Paulo tem um calendário de vacinação próprio, modelado seguindo as complexidades de cada município. Esse calendário, ele explica, é baseado nas promessas de entrega do ministério, que costumeiramente sofre mudanças no combinado.

“O ponto de referência para definir o avanço da vacinação de primeira ou segunda dose é com base na informação oficial do Ministério da Saúde, publicada no site. Nós, então, programamos a vacinação considerando aquela quantidade. No mês seguinte, ele [ministério] corta 30% da perspectiva dos meses futuros, forçando os gestores a recalibrar. Neste momento [com a vacina da AstraZeneca], a queda foi de tal envergadura que não permitiu ao estado redirecionar a tempo”, afirmou.

“As doses são encaminhadas progressivamente, ninguém ‘guarda’ dose. Não tem diretriz do ministério de mandar mil doses, para aplicar 500 e guardar por três meses 500 doses. Mesmo porque a validade [das vacinas] não permite. É notória a dificuldade do produtor [Fiocruz] de honrar com compromisso e entendo que coloca o ministério em dificuldade. Não estamos para criar cavalo de batalha, buscamos solução”, disse.

Na noite de ontem, o governo oficializou essa medida. A Secretaria de Saúde de São Paulo anunciou que a população poderá tomar a segunda dose com a vacina da Pfizer, a partir da próxima semana. Mas só para quem estiver com a dose de AstraZeneca vencida entre os dias 1º e 15 de setembro.

*Com Informações do UOL

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

SIGA/CURTA

28,891FãsCurtir
1,510SeguidoresSeguir
1,444SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever

VEJA TAMBÉM

Anvisa determina recolhimento de lotes da CoronaVac

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou o recolhimento de alguns lotes da vacina CoronaVac, contra a Covid-19, que foram interditados após constatação...

Estado de SP reduz de 12 para 8 semanas intervalo de aplicação da segunda...

O governo de São Paulo reduziu de 12 para oito semanas o intervalo de aplicação da segunda dose da vacina contra a Covid-19 produzida...

Trabalhadores nascidos em dezembro podem sacar auxílio emergencial

Trabalhadores informais e inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) nascidos em dezembro podem sacar, a partir de hoje (20), a quinta...

44% dos brasileiros reprovam desempenho do Congresso, aponta pesquisa Datafolha

Uma pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (23) pelo jornal "Folha de S.Paulo" aponta que 44% dos brasileiros consideram o desempenho do Congresso como ruim...

CEU Ottawa-Uirapuru oferece aulas de teatro e música para crianças e adultos

Na última quinta-feira (16) os alunos do ensino fundamental da EPG Alvares de Azevedo receberam a visita dos professores dos cursos de teatro e música...