terça-feira, 26 outubro 2021
- PUBLICIDADE -
InícioCANAISBEM-ESTARCaminhar 6 km por dia reduz risco de morte prematura

Caminhar 6 km por dia reduz risco de morte prematura

Caminhar pelo menos 7 mil passos por dia reduz o risco de morte prematura para pessoas de meia-idade, entre 50 e 70 por cento, segundo estudo publicado na Science e JAMA Network Open.

Como o comprimento médio de cada passo é estimado em 82 centímetros, dar 7.000 passos equivale a caminhar por 5.740 metros, ou 5,7 km.

O estudo da Universidade de Massachusetts Amherst, nos EUA, ainda mostra que não precisa andar mais rápido, ou dar 10 mil passos por dia. O limite avaliado, desde que constante, é o ideal para manter a longevidade.about:blank

“Você vê essa redução gradual de risco na mortalidade à medida que dá mais passos. Houve benefícios substanciais para a saúde entre 7.000 e 10.000 passos, mas não vimos nenhum benefício adicional em ir além de 10.000 passos,” disse a professor Amanda Paluch, da Universidade de Massachusetts Amherst.

Atividades físicas simples

Estes resultados mostram a evolução no estabelecimento de diretrizes baseadas em evidências para atividades físicas simples e acessíveis que beneficiam a saúde e a longevidade – como caminhar.

Os pesquisadores coletaram dados do estudo “Desenvolvimento de Risco de Artéria Coronária em Jovens Adultos (CARDIA)”, que começou em 1985 e ainda está em andamento.

“Prevenir essas mortes antes da expectativa média de vida – isso é muito importante”, diz Amanda Paluch. “Mostrar que passos por dia podem estar associados à mortalidade prematura é uma nova contribuição para o campo.”

Experimento

Cerca de 2.100 participantes entre 38 e 50 anos usaram um acelerômetro entre 2005 e 2006 e foram acompanhados por quase 11 anos depois disso, para ver os ganhos a longo prazo.

Os voluntários foram separados em três grupos de comparação: Volume de passos baixos (menos de 7.000 por dia), moderado (entre 7.000-9.999) e alto (mais de 10.000).

Isso é importante porque mostra que vale a pena fazer um esforço para andar mais, mesmo que o exercício vá evoluindo aos poucos.

“Para pessoas que deram 4.000 passos, chegar a 5.000 é significativo. E de 5.000 para 6.000 passos, há uma redução de risco incremental na mortalidade por todas as causas até cerca de 10.000 passos,” explicou Amanda.

*Com informações do Diário da Saúde

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

SIGA/CURTA

28,891FãsCurtir
1,510SeguidoresSeguir
1,478SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever

VEJA TAMBÉM

Estudantes que participam do Bolsa do Povo Educação recebem o primeiro pagamento

Aproximadamente 83 mil estudantes do ensino médio participantes do Bolsa do Povo Educação - Ação Estudantes recebem o primeiro pagamento nesta quarta-feira (20). Com...

Grupo GR oferece mais de 60 vagas de emprego em São Paulo

O Grupo GR tem 68 oportunidades para os cargos de agente de conservação, agente de conversação líder, atendente, auxiliar de serviços gerais, controlador de...

Secretários do Ministério da Economia pedem exoneração

O secretário especial do Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal, e o secretário do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, pediram exoneração de seus cargos. A informação...

Solicitação de desbloqueio da senha da Nota Fiscal Paulista aumenta 200% em um ano

A procura pelo Procon Guarulhos para o desbloqueio da senha da Nota Fiscal Paulista cresceu 200% em um ano. De janeiro a outubro de...

FGV: confiança do consumidor volta a subir após dois meses em queda

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), subiu 1 ponto de setembro para outubro deste ano e interrompeu...