PUBLICIDADE
InícioCLIMANova onda de calor chega a vários estados e ao DF nesta...

Nova onda de calor chega a vários estados e ao DF nesta quinta-feira; veja previsão para Guarulhos

Publicado em
PUBLICIDADE

A partir desta quinta-feira (14), as temperaturas vão subir em vários estados, com a chegada de uma massa de ar quente que ganha força nos próximos dias em grande parte do centro-sul do Brasil, com temperaturas máximas que podem passar dos 40 graus Celsius (°C), inclusive no Rio Grande do Sul.

Para esta sexta-feira (15), o forte calor também é esperado na área que abrange a maior parte do Centro-Oeste e Sudeste do Brasil e em áreas das regiões Norte e Nordeste, com temperaturas máximas que podem superar 40°C nos estados de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e Bahia e no interior de São Paulo.

 

De acordo com a previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), esse quadro climático se manterá até o próximo domingo (16).

Guarulhos

Em Guarulhos, o termômetro ficará, em média 35 até segunda-feira (18/12), podendo chegar aos 36°C nesta sexta-feira (14/12). Veja em https://previsao.inmet.gov.br/3518800.

Onda de calor

Em função desse cenário, o Inmet emitiu na terça-feira (12) aviso meteorológico especial, de nível laranja (perigo), de onda de calor devido à persistência do fenômeno por, pelo menos, 4 dias consecutivos. Para ser considerada onda de calor, a temperatura máxima do dia deve registrar 5 graus acima da média daquela localidade, por um período de 3 a 5 dias.

A meteorologista do Inmet Naiane Araújo indica um conjunto de fatores responsáveis pelo fenômeno climático caracterizado pelo aumento anormal das temperaturas por um certo período.

“Nos próximos dias, a chance de chuva já começa a diminuir novamente, principalmente a partir desta quinta-feira, devido a uma massa de ar mais quente e seco, que vai quebrar esse canal de umidade, justamente nesta época do ano, quando nos aproximamos do verão, que é uma época mais quente do ano. Conforme a gente tem o céu aberto, mais ensolarado, com a ausência de nuvens e de chuva, as temperaturas disparam mesmo”, explicou.

A meteorologista disse que o fenômeno natural El Niño (aquecimento das águas do Oceano Pacífico) é um motivo a mais para aumentar os termômetros, mas não é o único.

“O El Niño é um agravante. A gente teve a configuração do fenômeno ao longo dessa primavera e, durante o verão, deve persistir. Quando se configura um El Niño, o fenômeno bagunça o regime de chuva na área central do Brasil e tem um impacto muito claro nessa elevação das temperaturas também. Ele é um combustível a mais, sem dúvida alguma”.

Riscos

Os recordes de temperatura aumentam os riscos de incêndios e prejuízos à agropecuária, com a perda de produção e mortes de animais.

A sensação térmica muito alta também pode provocar riscos à saúde, como insolação em diferentes graus. Os mais vulneráveis e que precisam de mais atenção são pessoas idosas, bebês e crianças, gestantes e portadores de doenças crônicas, como problemas renais, cardíacos, respiratórios ou de circulação; além da população em situação de rua.

Para a população em geral, para se proteger da insolação, o Ministério da Saúde recomenda hidratação, resfriamento e proteção do sol e calor. A pasta preparou um guia com dicas básicas sobre como lidar com as temperaturas extremas:

  • beber águas e sucos com frequência, mesmo quando estiver sem sede;
  • evitar bebidas com álcool, açucaradas e os refrigerantes;
  • evitar refeições pesadas e condimentadas;
  • ingerir refeições leves, como saladas e frutas, a exemplo de melancia, melão e laranja;
  • permanecer em locais mais frescos e arejados: à sombra, com ar condicionado ou ventilador;
  • manter os ambientes úmidos com umidificadores de ar, toalhas molhadas ou baldes de água;
  • usar roupas com tecidos e modelos frescos para deixar a pele respirar;
  • tomar banhos frios ou com temperaturas mais baixas;
  • evitar mudanças bruscas de temperatura;
  • evitar se expor ao sol nos horários mais quentes, assim como não realizar atividades físicas nestes intervalos, principalmente, ao ar livre;
  • usar protetor solar, óculos escuros e chapéus.

Aos tutores dos animais domésticos, especialistas recomendam:

  • manter a água dos animais sempre fresca, limpa e disponível. Pedras de gelo podem ser acrescentadas ao líquido;
  • não caminhar com os animais em piso quente para não queimar as patas;
  • evitar passeios em horários de pico de temperatura;
  • não deixar os pets expostos ao sol;
  • avaliar o uso de ar condicionado no local onde o pet fica;
  • verificar os comportamentos do animal;
  • se necessário, procurar um veterinário.

*Com Informações da Agência Brasil e Inmet

Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE
Redes Sociais
28,870FãsCurtir
3,337SeguidoresSeguir
1,683SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever
PUBLICIDADE

Últimas publicações

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE