Causas do deslizamento no aterro de Guarulhos ainda são desconhecidas

Vista aérea do buraco causado pelo deslizamento de resíduos no aterro de Guarulhos - Foto: assessoria do vereador Zé Luiz

Nesta quarta-feira, 9, o deslizamento de resíduos no aterro sanitário municipal de Guarulhos completa 12 dias. As causas do acidente ainda não foram identificadas. Segundo a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) isso “dependerá da elaboração de estudos detalhados pela Prefeitura de Guarulhos ou empresas contratadas para esse fim”.

Questionada, a Secretaria de Serviços Públicos informou “que o laudo sobre as causas do incidente no aterro municipal encontra-se em andamento, assim como o processo de contratação da empresa que irá realizar os demais reparos necessários no local”. A Proactiva, empresa do grupo francês Veolia, que administra o aterro, não respondeu aos questionamentos do Click Guarulhos até o fechamento desta reportagem.

Segundo análise da Cetesb as medidas emergenciais adotadas pela Prefeitura (construção de dique de contenção de lixo e chorume no limite do lixo que deslizou) “foram eficazes, embora não tenha sido constatada a presença de chorume na massa de lixo impactada.”

Danos

Os danos já identificados causados pelo deslizamento, ainda segundo a Cetesb, foram o aterramento de aproximadamente 4000 m² de mata nativa e a deposição do resíduo que deslizou em área sem impermeabilização e cobertura. “Há risco de contaminação da água subterrânea na área diretamente afetada, pois o resíduo objeto do deslizamento extrapolou a área impermeabilizada do aterro”, alerta a Cetesb.

Monitoramento

A Prefeitura de Guarulhos continua “monitorando a qualidade das águas subterrâneas, por meio da coleta e análise nos diversos poços de monitoramento existentes no aterro”, aponta a Cetesb.

Cheiro

Quanto às queixas de forte odor relatadas por moradores da região, a companhia informa que “nas diversas vistorias realizadas pela Cetesb não foi constatado odor fora dos limites do aterro, bem como não foi reportado esse problema nos diversos canais de comunicação da população com a Cetesb”.

Laudo

Questionada a respeito da elaboração de um laudo de impacto ambiental, a Cetesb respondeu que “não tem por atribuição a execução de ‘laudos’ sobre eventos como o ocorrido no Aterro de Guarulhos”, concluiu. a Prefeitura, por meio da Secretaria de Serviços Públicos informou “que o laudo sobre as causas do incidente no aterro municipal encontra-se em andamento”.