Com um nó na garganta, parentes e amigos se despedem de Wilson Koga e cobram segurança

Familiares e amigos prestaram uma última homenagem a Wilson Shumio Koga - Foto: Alexandre de Paulo/Click Guarulhos

Pelo menos duas centenas de pessoas, entre parentes amigos e moradores da Vila Augusta, se reuniram em frente à avícola Ipanema, na rua Cônego Valadão, para prestar uma última homenagem ao comerciante Wilson Shumio Koga, 55 anos, assassinado dentro do estabelecimento durante um assalto no sábado, 10. Duas quadras da rua, na altura do número 1200, ficaram interditadas por aproximadamente 40 minutos. Uma imensa bandeira do Brasil, com uma faixa preta cortando-a ao meio, cobria a fachada do comércio. Flores e cartazes de protestos decoravam o local. Afora as homenagens, o encontro também tinha um caráter de protesto e a palavra de ordem era uma só: “segurança”.

Com a voz embargada e o coração cheio de tristeza, o sobrinho Welton representou a família para agradecer às manifestações de solidariedade e cobrar mais segurança das autoridades.

“Vendo o pessoal todo reunido aqui percebo que é gratificante ver o quanto meu tio (chamou-o carinhosamente de pai) era importante. Quero agradecer e exigir que haja um melhor policiamento na região, que a gente seja melhor visto pelas autoridades. Com o crescimento e importância deste bairro na cidade, a criminalidade também veio para cá. Precisa ter punição para as pessoas que fazem mal a outras pessoas, que assassinam outras pessoas. Peço que olhem para nós: vocês, políticos, policiais, administradores desta cidade; vamos correr atrás para que amenizem essa terrível dor e essa sensação de insegurança que estamos passando. Muito obrigado”, disse, visivelmente emocionado.

Ao final, as centenas de pessoas reunidas na rua Cônego Valadão somaram suas vozes, pensamentos e intenções e entoaram, em uníssono, um “Pai Nosso”.