Homem mantém reféns em ônibus na Ponte Rio-Niterói

Sequestrador, escondendo o rosto e com um rádio comunicador na mão, desce do ônibus por alguns segundos - Reprodução

Um homem armado mantém passageiros de um ônibus há cerca de duas horas como reféns na Ponte Rio-Niterói. A ocorrência policial interdita a pista no sentido Rio de Janeiro, obrigando motoristas que se dirigiam para o Rio a voltar. Os acessos estão interditados e um enorme congestionamento se formou na região. Três mulheres e dois homens foram libertados; 21 pessoas ainda são mantinhas presas no ônibus. O Batalhão de Operações Especiais (Bope) está a frente das negociações.

Segundo as primeiras informações, por volta das 6h um homem armado que estava dentro do ônibus obrigou o motorista a atravessar o coletivo na pista, na altura do vão central. O ônibus sequestrado é da Empresa Galo Branco, Linha 2520, que faz o trajeto Jardim Alcântara, em São Gonçalo, até o Estácio, no centro da capital Fluminense.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o sequestrador teria se identificado como policial militar e teria dito que estava com gasolina, ameaçando incendiar o coletivo.

Ainda não há confirmação do número exato de reféns e no início da ocorrência policiais rodoviários federais conduziam as negociações, por ser a via uma rodovia federal.

Duas passageiras passaram mal e foram liberadas pelo sequestrador. Elas já receberam atendimento médico, mas ainda não há informações sobre o estado de saúde delas. Depois disso, um homem e uma mulher também foram liberados; e na sequencia um terceiro homem, totalizando cinco vítimas liberadas pelo sequestrador.

A Ponte Rio-Niterói fica na BR-101, uma via de jurisdição federal. O cerco ao ônibus sequestrado é feito pela PRF e pela Polícia Militar. Equipes do (Bope) da Polícia Militar chegaram ao local com especialistas em ocorrências com reféns, e assumiram as negociações. Há atiradores de elite no local.

*Via Agência Brasil, colaborou Icaro Matos, repórter do Radiojornalismo