Os primeiros 100 dias de governo Guti

Por Jônatas Ferreira

Em coletiva à imprensa nesta terça-feira, 11, o prefeito Guti (PSB) apresentou o balanço dos seus feitos nesses primeiros cem dias de governo. Foram cerca de 170 milhões de economia gerada entre cortes de gastos e revisões de contratos.

No raio-x de 2016, a dívida de Guarulhos ficou acumulada em R$ 7,4 bilhões, sendo que os passivos do Saae e da Sabesp encabeçam o montante com R$ 2,9 bi. Seguido pela Previdência e INSS com R$ 1,4 bi. Confira a relação total da dívida no quadro abaixo:

Com relação à dívida do Saae, a gestão passada deixou de pagar há pelo menos dois anos o consumo mensal que gira em torno de R$ 15 a 17 milhões. A nova administração, em janeiro, pagou o valor parcial e nos meses de fevereiro e março conseguiu quitar os custos em sua totalidade, prometendo manter o cumprimento dos pagamentos.

Ainda sobre a autarquia, ontem, 10, foi feita a repactuação de parte da dívida para que o município consiga a CND (Certidão Negativa de Débitos) do Saae. Foram R$ 13 milhões divididos em 99 parcelas. O prefeito destacou a vitória sobre o rodízio de água na cidade. Hoje, 60% das casas têm abastecimento todos os dias.

Os contratos de alugueis foram revistos e cerca de R$ 105 milhões foram economizados. Além disso, foram regularizados os débitos com as escolas conveniadas e a gratificação dos professores da rede municipal. “O guarulhense está cobrando e cobrando com razão”, pontuou o chefe do executivo.

No Carnaval foi economizado R$ 1,4 milhão, mesmo com a realização de 31 eventos. “Foi um carnaval pra todos. Quem gostava de rock, tinha evento de rock. Quem gostava mais de cultura, tinha os eventos nos Céus”, disse Guti.

Como destaque dos seus 100 dias, o prefeito informou que quase 115 mil alunos já receberam os uniformes e kits escolares nas escolas municipais, sendo que até o fim do mês concluirá a distribuição. As entregas são feitas em cinco ou seis escolas por dia.

Quanto ao leite em pó para alunos da rede municipal, foram entregues 218 toneladas para 108 mil crianças. Em comparação com 2016, houve economia de R$ 11,5 milhões, sendo o mesmo produto e distribuidor.

Guti também exaltou a revitalização do Ginásio Fioravante Iervolino, que teve o apoio de pelo menos 500 populares. O Centro Esportivo João do Pulo e Ginásio Ponte Grande também foram renovados. Além disso, houve os mutirões de manutenção dos espaços públicos, que revitalizaram parques como o Bosque Maia e Fracalanza.

Nestes primeiros 100 dias, 18 mil m³ foram recolhidos das ruas. Os PEVs receberam 11.500 toneladas de resíduos e 17.765 buracos tapados nas vias de Guarulhos.

O prefeito também destacou o Via Rápida, que permite a abertura de empresas de baixo risco em 24h, sem a necessidade de entrega de papelada no Fácil. O programa já recebeu 300 pedidos de aberturas em uma semana. Segundo Guti, 150 já foram atendidas.

Sobre o número de cargos comissionados, reduzidos para 1.169, haverá economia de R$ 233 milhões em quatro anos. A proposta diminui em 39% os custos com os salários dos cargos de assessoramento e livre provimento, reduzindo em cerca de R$ 3 milhões a folha de pagamento.

Segurança

Na segurança, Guti relatou aumento de 54% no patrulhamento escolar e 23,17% em áreas públicas. Foram reintegrados às ruas 114 GCM’s, oriundos de projetos como a Orquestra Municipal, extinta pelo secretário Gilvan Passos.

Na Operação Pancadão, promovida pela Guarda Civil Municipal, 21 veículos foram autuados, quatro bailes funks encerrados, 17 estabelecimentos notificados e fechados, além de um comércio lacrado e 12 pancadões impedidos de acontecerem nas madrugadas da cidade.

Foram 174 pássaros resgatados, duas motosserras e retroescavadeiras apreendidas, dez caminhões apreendidos e 26 animais silvestres resgatados, além de cinco procurados pela Justiça capturados.

Saúde

Boa parte da dívida da Saúde de R$ 74 milhões é referente ao não pagamento dos fornecedores de medicamentos e insumos, que de acordo com Guti não foram feitos desde julho de 2016, totalizando o passivo em cerca de R$ 50 milhões. “Agora a gente não sabe se foi propositalmente, justamente para explorar o nosso governo, ou por questões financeiras. Mas o fato é que eles [não pagamentos] foram cronometrados”, informou o prefeito.

Como não é possível o rompimento dos contratos, a equipe de governo está empenhada na renegociação deles. O secretário de Saúde, Roberto Lago, informou que R$ 10 milhões já foram renegociados e nos próximos meses outros valores serão discutidos. Até o fim deste ano, o prefeito promete mudanças significativas na saúde a partir de uma reestruturação. “Talvez não seja o que a gente mereça, mas vai ser o que a gente precisa”. Não foram passados muito detalhes sobre o que irá compor a reestruturação da saúde em Guarulhos.