Servidores rejeitam contraproposta da Prefeitura e decretam greve por tempo indeterminado

Maioria dos servidores presentes à assembleia votou a favor da greve, por tempo indeterminado - Foto: Alexandre de Paulo

Em assembleia realizada na tarde desta quarta-feira, 22, cerca de um mil servidores públicos municipais decretaram greve por tempo indeterminado. Minutos antes, eles rejeitaram a terceira contraproposta da Prefeitura. Segundo o presidente do sindicato, Pedro Zanotti Filho, o prefeito alega que não pode aplicar o índice de inflação, reivindicado pela categoria, pois “fere a lei de responsabilidade fiscal”.

Como é uma empresa de economia mista e sob outro CNPJ, os funcionários da Proguaru decidirão se aceitam ou não a proposta da Prefeitura em assembleia marcada para as 18h desta quarta, 22, no sindicato.

Segundo o presidente do Stap, a Prefeitura manteve a proposta de pagar abono de R$ 100 (no salário base) para os funcionários que recebem até R$ 2.100 (cerca de 10 mil trabalhadores), manter 10% de aumento no Vale Refeição/Alimentação (R$ 545) e 21% no valor da cesta básica, que passaria de R$ 115 para R$ 140. Quem recebe cesta básica teria direito a mais uma cesta no mês de dezembro. Servidores rejeitaram a proposta em assembleia, em frente ao Paço Municipal, e em seguida decretaram greve. Segundo a assessoria do Stap, os outros 15 mil servidores, que recebem salários acima de R$ 2.100, não seriam contemplados nessa proposta.

Maioria dos servidores presentes à assembleia votou a favor da greve, por tempo indeterminado – Foto: Alexandre de Paulo

A proposta anterior da Prefeitura foi de 2% de reajuste, divididos em três vezes (1% em maio, 0,5% em setembro e 0,5% em novembro), além de reajuste no vale-refeição e na cesta básica pelo ICV.

Os servidores saíram em passeata do Paço municipal até a Secretaria de Finanças, o que deve complicar bastante o trânsito no Centro de Guarulhos.

Segundo a diretoria do Sindicato, a adesão à greve nas UPAs, PAs, Samu e hospitais deve ser de 70%. Ou seja, apenas 30% manterão o atendimento. As UBSs podem vir a ter 100% de adesão. O dia paralisado hoje não seria descontado dos servidores. Informação que foi contestada pela nota oficial da Prefeitura (leia abaixo), já que a proposta não foi aceita pelo sindicato.

Os servidores estavam concentrados e protestavam em frente ao portão principal do Paço Municipal desde as 10h da manhã desta quarta-feira, 22.

Nota Oficial da Prefeitura de Guarulhos

“Em reunião de negociação realizada no final da manhã desta quarta-feira junto ao Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública, a Prefeitura refez a proposta para a categoria a fim de beneficiar um maior número de trabalhadores. Em acordo com as lideranças sindicais, os secretários de Gestão, Adam Kubo, e da Fazenda, Ibrahim El Khadi, ofereceram reajuste de 21,7% na cesta básica, abono de R$ 100,00 para quem recebe menos de R$ 2.100,00, o que beneficiaria 8.556 trabalhadores, mais 10% no Vale Alimentação/Refeição e concessão da 13ª cesta básica no final do ano.

Com a nova oferta da Prefeitura, o valor do Vale Alimentação/Refeição saltaria dos atuais R$ 495,00 para R$ 545,00 já a partir de maio e a cesta básica para R$ 140,00.  Além destas concessões, os representantes da Administração reiteraram os benefícios já oferecidos aos servidores neste ano, com a transposição para o Regime Próprio, já que mais da metade do funcionalismo terá um aumento nos salários acima da inflação acumulada. Um grande contingente, inclusive, com ganhos superiores a 10%.

Diante da proposta, causou estranheza à administração decisão da assembleia dos servidores, realizada com um número reduzido de funcionários na frente do Paço, que rejeitou a proposta e optou pela greve. Desta forma, os servidores rejeitaram duas outras concessões acertadas no encontro que seriam o abono do dia parado nesta quarta-feira e o pagamento da cesta básica neste mês de maio.”

Nota Oficial da Prefeitura de Guarulhos – Servidores

Reproduzimos Nota Oficial enviada pela Prefeitura à Imprensa

“Em reunião de negociação realizada no final da manhã desta quarta-feira junto ao Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública, a Prefeitura refez a proposta para a categoria a fim de beneficiar um maior número de trabalhadores. Em acordo com as lideranças sindicais, os secretários de Gestão, Adam Kubo, e da Fazenda, Ibrahim El Khadi, ofereceram reajuste de 21,7% na cesta básica, abono de R$ 100,00 para quem recebe menos de R$ 2.100,00, o que beneficiaria 8.556 trabalhadores, mais 10% no Vale Alimentação/Refeição e concessão da 13a cesta básica no final do ano.
Com a nova oferta da Prefeitura, o valor do Vale Alimentação/Refeição saltaria dos atuais R$ 495,00 para R$ 545,00 já a partir de maio e a cesta básica para R$ 140,00.  Além destas concessões, os representantes da Administração reiteraram os benefícios já oferecidos aos servidores neste ano, com a transposição para o Regime Próprio, já que mais da metade do funcionalismo terá um aumento nos salários acima da inflação acumulada. Um grande contingente, inclusive, com ganhos superiores a 10%. 
Diante da proposta, causou estranheza à administração decisão da assembleia dos servidores, realizada com um número reduzido de funcionários na frente do Paço, que rejeitou a proposta e optou pela greve. Desta forma, os servidores rejeitaram duas outras concessões acertadas no encontro que seriam o abono do dia parado nesta quarta-feira e o pagamento da cesta básica neste mês de maio.”

Proguaru

Em assembleia na noite desta quarta-feira, 22, funcionários da Proguaru aceitaram a proposta da Prefeitura: abono de R$ 100 (no salário base) para os funcionários que recebem até R$ 2.100 (cerca de 10 mil trabalhadores), 10% de aumento no Vale Refeição/Alimentação (de R$ 495 para R$ 545) e 21% no valor da cesta básica, que passará de R$ 115 para R$ 140.

Texto atualizado às 20h32 desta quarta-feira, 22