Contrastes de luz e sombra compõem as imagens da mostra Eco, em cartaz no Centro Permanente de Exposições de Arte Prof. José Ismael, na Vila Galvão. A entrada é franca.

Eco reúne nove fotografias da paulistana Daniela Eorendjian Torrente, artista selecionada para esta mostra individual depois de sua participação no 13º Salão de Artes Visuais de Guarulhos, promovido no ano passado pela Secretaria Municipal de Cultura.  

Na entrada do espaço expositivo, o poema O que fazer?, de autoria da própria Daniela, é uma espécie de prenúncio do que o espectador vai encontrar; por isto, é fundamental lê-lo. Versos como “Busquei conforto e encontrei o escuro/ O escuro revelou o que eu buscava” descortinam seu trabalho e fazem jus ao nome da mostra: emergem como a reverberação de seus próprios sentimentos.

Emblemática, uma das obras traz uma luz amarelo-alaranjada incidindo sobre a cortina de um ambiente. Em outra imagem, uma pilha de livros é delineada na técnica de alto contraste.