Comissão Especial de Estudos vai apurar obras de pavimentação

Os vereadores da Câmara de Guarulhos aprovaram na Sessão Ordinária desta quinta-feira, 11, a criação de uma Comissão Especial de Estudos, proposta pelo vereador tucano Romildo Santos, para apurar a execução das obras referentes à pavimentação no sistema viário, executada pelo Consórcio Empavi/Firpavi.

Vários parlamentares aproveitaram o tempo regimental para fazer críticas à atual administração. O psdebista Geraldo Celestino reclamou da falta de recursos do município e afirmou que Guarulhos está em péssima situação financeira.

A base saiu em defesa do prefeito Sebastião Almeida (PT) e rebateu as acusações, alegando que muitos serviços não estão sendo executados pelo Estado: “o Governo Estadual também precisa colaborar com os municípios”, declarou a vereadora Marisa de Sá (PT).

Na Tribuna Livre, três moradores se inscreveram para fazer o uso da palavra. A psicóloga Cleunice Alves da Silva pediu apoio aos parlamentares para recusarem a aprovação no Plano Municipal de Educação do tema ideologia de Gênero: “Não podemos permitir que esta teoria seja ensinada nas escolas”.

O munícipe Gilson de Sousa Santos aproveitou os dez minutos para pedir ajuda na solução do problema vivido pelos moradores do bairro São Rafael. Santos informou aos parlamentares que cerca de 400 famílias ficaram de receber ajuda do Executivo para conseguir uma casa própria e, até o momento, nenhuma foi ajudada: “agora fomos surpreendidos por uma decisão judicial que pede a desocupação da área. Não temos para onde ir”.

Já o servidor público e ex-vereador José Mario Stranghetti Clemente fez um apelo aos parlamentares pedindo atenção ao projeto de Lei da que deverá se apresentado pela Prefeitura, que pretende instituir o Regime Jurídico Único (RJU) dos servidores municipais. Segundo José Mario, o projeto foi elaborado sem a participação dos trabalhadores e retira vários direitos trabalhistas consagrados pela legislação municipal. Ele também asseverou que a atual minuta do PL inviabiliza aposentadorias futuras: “Da forma como o projeto de Lei foi criado, a previdência municipal não conseguirá arcar com suas obrigações em um curto espaço de tempo”, finalizou.

Vários vereadores saíram em defesa dos servidores municipais. Os psdebistas Geraldo Celestino e Romildo Santos, integrantes da Comissão Permanente de Funcionalismo Público da Câmara e Guarulhos, declararam que não permitirão a aprovação de nenhum projeto que retire ou prejudique os servidores públicos.