Empresários da cidade reunidos em uma noite de segunda-feira. De imediato, a impressão que se tem é a de que se trata de mais um encontro de empreendedores, em que seriam abordados desde temas como maneiras para atrair mais clientes a dicas para contornar a crise econômica. Mas, o evento Poder Empreendedor, que aconteceu na segunda-feira, 31 de agosto, no anfiteatro do Colégio Carbonell, não era apenas mais uma reunião de empresários da cidade: foi, sem exageros, uma aula.
CARBONEL-7340

O projeto, idealizado por da Fábio Carleto, da Carleto Comunicação, e que contou com o apoio de diversas empresas, já mostrava estar longe do senso comum só por ter como ponto de partida a aproximação entre quem busca um lugar ao Sol e empreendedores de sucesso, por meio da troca de experiências, histórias inspiradoras de quem chegou lá e dos segredos para a grande virada na carreira, o grande mote da noite.

Logo na primeira edição, as quase 200 pessoas presentes ao evento puderam ter a chance de ouvir os convidados de peso do Poder Empreendedor: professor Antonio Veronezi, que fundou a UnG (Universidade Guarulhos) e o General Shopping Brasil, que administra empreendimentos ao redor do Brasil, como o Internacional Shopping Guarulhos, Parque Shopping Maia e o Outlet Premium; e Rodrigo Barros, sócio de diversas empresas, como a HandsOn TV, plataforma de vídeos voltada ao empreendedorismo sediada em no Vale do Silício (EUA), um dos berços mundiais da inovação, e apresentador do LeWeb Tour, maior competição de startups da Europa. Os dois foram recebidos pelo anfitrião Fábio Carleto.

Newtorking dinâmico

Antes de ouvirem os relatos de Veronezi e Barros, os participantes interagiram entre si por aproximadamente uma hora no hall do anfiteatro. A atividade consistia em eles, divididos por fileiras, conversarem entre si sobre temas variados. As pessoas ali estavam tão envolvidas que era visível o entusiasmo e a conexão criada a partir do compartilhar das experiências. Neste momento, a entrega e qualidade do elenco que suportou o evento, tanto na orientação dos grupos sobre a atividade e até em detalhes, como a rapidez com que serviram água para cada um dos presentes.
A entrega dos participantes era intensa ao ponto de lamentarem o fim deste primeiro bloco. Além do networking ali, que continuou no coquetel pós-palestra, não seria surpresa descobrir que dali surgiram boas parcerias e grandes amizades.

CARBONEL-7440Palestra, conversa ou aula? Eis a questão
Após a dinâmica, os participantes assistiram a um vídeo motivacional, de aproximadamente cinco minutos, cujo mote era como descobrir o próprio potencial. Na sequência, o power trio da noite entrou no palco, e a descontração e entrosamento entre eles eram visíveis logo quando eles ocuparam seus respectivos assentos – Carleto à esquerda, Veronezi ao centro e Barros à direita.

Logo de cara, Rodrigo Barros começou falando da trajetória de sua família, dizendo que o avô era dono de um bar na praça Getúlio Vargas, que foi transferido para a praça dos Estudantes, do qual seu pai queria ser sócio à época. Mas, uma frase dita pelo Barros-avô (“O bar só dá para um”) fez o filho (Mário, pai de Rodrigo) abrir uma imobiliária. Mais tarde, Rodrigo, ao encerrar a carreira de jogador de futebol, se baseou na mesa ideia e, em vez de se juntar ao pai, preferiu trilhar seu caminho solo.

Esse foi um dos pontos de virada de sua vida, quando a máxima “Me diga com quem tu andas que direi aonde vais” se tornou um de seus lemas de vida. Duvida? Basta dizer que, a partir de sua vontade em ir além do óbvio e de seu foco já bem definido, ele decidiu que o primeiro entrevistado na revista “O Segredo do Sucesso” seria o empresário João Doria Jr. e conseguiu, fazendo networking dos menos ortodoxos: primeiro, ele entrou em contato com Frans Krajcberg, então marchand de Bia Doria, artista plástica e esposa do empresário, para entrar contatá-la e, posteriormente, chegar a João Doria. E deu certo. Outro exemplo? Ter encontrado o saudoso Beto Carreiro por duas vezes, sendo a segunda em uma viagem aos EUA, o que lhe abriu as portas à TV aberta. “É necessário entender o que você quer fazer na vida para isso acontecer, e isso precisa de motivação. Idem para ter razão para agir, assim como visão, paixão e educação. A simplicidade é a regra número um”, explica, enquanto ressalta outro aspecto: “A segunda regra é a colaboração, para entregar valor antes de receber. Isso gera impacto positivo e um ciclo [virtuoso], além de inibir o medo e ajudar a ganhar autoconfiança.”

Na sequência, Veronezi tomou para si o microfone para chegar “com o pé na porta”. “Muita gente tentou e parou no primeiro obstáculo. Não façam isso, pois eles fortalecem.” Propriedade ele tem para falar sobre. Dizer que ele já foi engraxate aos 9 anos e office boy aos 11, para conseguir estudar, resume a história. “A coragem faz da utopia um sonho, e o trabalho o transforma em realidade. Acreditem no sonho, sigam-no e acreditem na ideia, busquem uma necessidade. Acharam? Se sim, encontraram o sucesso”, fala, ao citar o case do Internacional Shopping. Sejamos francos: tem de ser visionário para enxergar em um galpão às margens da rodovia Presidente Dutra a ser alugado, que no caso era da Olivetti, um shopping center. “O meu objetivo de vida é criar, fazer as coisas acontecerem e criar oportunidades para os outros. Eu sou um empreendedor.”

Outras frase marcante do professor é “corram atrás do possível, que o impossível eu vou buscar”. Numa interação com Rodrigo, Veronezi disse algo marcante: “Com o tempo você vai mudar, porque você precisa vocacionar seus negócios para os talentos dos seus filhos para continuar o legado.”

A porta da percepção

Uma das lendas sobre Veronezi é ter colocado em sua casa de praia a porta do colégio onde estudou, na Penha (São Paulo). Durante o bate-papo, ele explicou o porquê. “É para os meus filhos se lembrarem de que nunca se deve fechar portas para ninguém. Essa porta foi aberta para mim quando precisei.”

O homem do Vale

Rodrigo Barros foi há alguns anos ao Vale do Silício e, estando lá, percebeu que as premissas do lugar são a simplicidade, a colaboração e a conexão. Isso o fez perceber logo que o ambiente iria transformá-lo – como ser humano, inclusive – e se tornar adepto do que ele chama de economia do agradecimento, ou seja, colaborar antes de alguém colaborar contigo, o que resulta no consumo pelo agradecimento e em engajamento. O resultado disso tudo? Ajudar a conhecer o público-alvo.
Por fim, o resultado final é o legado, que gera impacto positivo na vida das pessoas, inclusive as com quem trabalha. “Deixe as pessoas serem protagonistas no que fazem. Quando elas o são, o resultado é exponencial. E outro segredo do sucesso é contratar gente mais competente do que você é, na área em que elas atuam.”

CARBONEL-7347Impressões de quem viu e ouviu:

“Achei demais. Eles são mestres. A base para conseguir o sucesso é ter foco e determinação para saber o que quer e ir em busca disso, o que é motivador. Sabemos disso tudo, mas ouvir do jeito que eles falaram faz acreditar [nesses aspectos].”
Mariana Marchezin,
da Doce de Brigadeiro

“O evento superou todas as minhas expectativas. A juventude e a experiência do Rodrigo, associadas aos ensinamentos do Veronezi, transmitiram de modo simples e objetivo que grandes transformações são feitas com ideias simples e objetivos claros.”
Paulo Zago,
da Oliveira & Zago Advogados

“Soube do evento pelo Fábio [Carleto]. Disse a ele: ‘Você já tem a primeira inscrita.’ Achei fantástico. E superou todas as minhas expectativas. O Rodrigo falou da economia do agradecimento, o que falta muito no mundo de hoje. Ouvi-los falar sobre isso é muito gratificante.”
Nicole Malo,
da Guarda Mundo

Quem fez?

A primeira edição do Poder Empreendedor foi uma realização da Carleto Comunicação e contou com a coordenação da Ninemix, e fundamental apoio do Spa Julio Ganiko, Equipe Soluções, Futuro Empregos, Perfumaria Sumirê, InEvent, Unifox, HandsOn TV, Lupacom Comunicação, Agência E!, Serviços do Futuro – Cecap, BNI, Agência Lemon Blue, KLA Educação Empresarial, Eroflex, Atitude Positiva e Colégio Carbonell.