sexta-feira, 27 maio 2022
- PUBLICIDADE -
InícioCIDADECULTURAEspaço Arranca recebe 1ª Mostra de Artes do Corpo de Guarulhos

Espaço Arranca recebe 1ª Mostra de Artes do Corpo de Guarulhos

 

Nesse sábado, 26, às 20h, terá início a 1ª Mostra de Artes do Corpo de Guarulhos. Sediado no Espaço Arranca, o evento tem a proposta de apresentar trabalhos recentes de artistas de dança e performance da cidade e promover debates sobre as proposições exibidas, pesquisas nas artes do corpo e o fazer artístico no município guarulhense. Para essa edição, a Mostra traz três solos de curta duração: o premiado ‘Só’, do Núcleo Extedoe; além dos inéditos, na cidade, ‘Corpo e Corda’, da Cia Aymelek; e ‘Experimento 1 ou Como Enterrei meu Sexo’, de Edson Raphael.

A 1ª Mostra de Artes do Corpo de Guarulhos terá entrada gratuita e indicação classificativa para maiores de 16 anos. Os interessados podem obter mais informações e reservar lugares por meio do email [email protected].

Confira abaixo as sinopses das obras a serem apresentadas:

A performance “Só” parte de um estado de espírito abstrato que é a solidão e em cima dessa temática trabalha num diálogo com as artes plásticas e cênicas em uma linguagem contemporânea sempre focada na pesquisa do corpo-criador.

CORPO e CORDA

A performance “Corpo e Corda” tem como idéia trazer elementos das possibilidades melódicas dos instrumentos de corda com intenção de impulsionar outras conexões com a dança, suscitando novos movimentos, novas combinações, gestos, direções, atmosferas. A pesquisa se concentra na “osmose” entre os movimentos de dança e os sons da corda, trabalhando intimamente essas duas linguagens com objetivo de que o primeiro absorva o último e devolva os movimentos “contaminados” dessa sonoridade. Para esse projeto, a inquietações sonoras são provocadas pelo guitarrista Will Carbônica e interpretadas por Khalina Aymelek.

EXPERIMENTO 1 OU COMO ENTERREI MEU SEXO

Sinopse: Experimento 1 ou Como Enterrei meu Sexo tem a proposta de discutir a sexualidade do indivíduo negro e gay por meio de uma metáfora corporal que une dança contemporânea e elementos performáticas. O experimento toma forma a partir de inquietações e vivências acerca da objetificação e hiperssexualização deste corpo negro, da violência social que o agride e isola, e do momento de retomada e ressignificação do seu sexo.

- PUBLICIDADE -

SIGA/CURTA

28,870FãsCurtir
3,337SeguidoresSeguir
1,572SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever

VEJA TAMBÉM

Pessoas com asma devem redobrar cuidados no outono e no inverno

Pelo menos 300 milhões de pessoas no mundo são asmáticas e no Brasil esse número chega a mais de 20 milhões. No Sistema Único...

CPTM abre licitação para obras na Plataforma do Expresso Aeroporto, na Luz

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) publicou na edição desta terça-feira (24/05) do Diário Oficial do Estado de São Paulo o edital para...

Estado pagará terceira parcela do abono aos professores no dia 31

O governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, ao lado da secretária estadual da Educação, Renilda Peres, anunciou nesta quarta-feira (25) que o pagamento da...

Escola de Campinas cria máquina de absorventes e garante dignidade íntima para alunas

Uma iniciativa adotada na Escola Estadual Tenista Maria Esther Andion Bueno, em Campinas, permitiu acolhida e saúde íntima para 90 alunas da unidade com...

Mais de 3,4 mil pessoas são atendidas no Programa Saúde Agora

No sábado (21), com a abertura de todas as Unidades Básicas de Saúde para a campanha de vacinação contra a Covid-19 e de Papanicolau,...