Obesidade infantil em alta

 

Por Talita Ramos

Segundo dados do governo, 33,5% das crianças brasileiras estão acima do peso, o que pode acarretar problemas como baixa autoestima, infecções respiratórias e de pele, problemas ortopédicos, entre outros. Para reverter o quadro de obesidade, o mais indicado é a reeducação alimentar. “Com a ajuda dos pais é possível, sim, aprender a comer bem em qualquer idade. Claro que no caso de uma criança obesa é necessário que toda a família se dedique para incentivá-la. É importante que os jovens vejam os pais e irmãos alimentando-se de forma parecida ou poderão sentir-se excluídos. Os pais devem motivar e também ingerir alimentos como verduras, frutas e legumes, servindo de exemplo para os filhos”, explica a médica nutróloga Liliane Oppermann.

A especialista destaca a importância de se estabelecer horários para as refeições, torná-las divertidas e reduzir a ingestão de alimentos calóricos como salgadinhos industrializados, bolachas recheadas e lanches fast foods. A nutróloga recomenda que a criança consuma, pelo menos, um alimento de cada um dos três grupos abaixo, em cada refeição:

  •  Alimentos reguladores: ricos em vitaminas, minerais e fibras, facilmente encontrados nas frutas, verduras e legumes;
  • Alimentos energéticos: são os responsáveis por fornecer energia ao organismo. Fontes de carboidratos, como: massas, cereais, batata, mandioca, farinhas, etc;
  • Alimentos construtores: ajudam a construir a musculatura do corpo. Proteínas, cálcio e ferro, facilmente encontrados nas carnes em geral, leites e derivados, ovos e leguminosas, como soja, feijão, ervilha, etc.