quinta-feira, 26 maio 2022
- PUBLICIDADE -
InícioCANAISECONOMIANa alegria e na tristeza, na saúde e na doença, e na...

Na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, e na vida financeira

 

Por Amauri Eugênio Jr.

Contas de água, luz, telefone, internet e TV por assinatura. Fatura do cartão de crédito. IPVA, IPTU e demais impostos. Taxa do condomínio. Prestação do carro. Mensalidades da escola, curso de idiomas e aulas de natação dos filhos. Compra do mês no supermercado. Tudo isso já tira o sono de muita gente e pode causar um estresse aqui e ali na vida a dois. Mas, ainda há outros fatores para se levar em conta, sendo a maioria ligada a gastos tidos como supérfluos num primeiro momento, como confraternizações e happy hours, compras de objetos diversos ou aquela viagem – ainda mais agora, em tempos de dólar em alta. E, se algo for feito às escondidas, há ainda o risco de a relação ficar na corda bamba. Delicado, não?
Logo de cara, uma coisa deve estar sempre em mente: uma vez estando numa vida a dois, tudo é compartilhado e a parceria vale para qualquer coisa. Isso não poderia ser diferente com o que envolve dinheiro. Em primeiro lugar, é fundamental que ambos tenham muito cuidado na condução da vida financeira dentro da relação e, claro, saibam administrá-la e cuidá-la muito bem. “Deve-se fazer [a organização] de modo que os dois colaborem, mas pesando o quanto cada um ganha para não prejudicar quem ganha menos. Quem ganha mais ajuda mais, desde que não se sinta sobrecarregado(a)”, explica Dori Boucault, advogado e consultor em relação de consumo.

Na ponta do lápis

OK, nem só de trabalho e contas vive o ser humano e, sendo assim, dá vontade de comprar algo, o que é saudável, até para sentir-se recompensado(a) por todo o esforço que os tempos atuais exigem de nós. Desde que não seja em excesso. Por isso, vale sempre a pena falar sobre com a(o) parceira(o) e controlar bem para não perder a mão da coisa, pois as metas financeiras na vida a dois são muito importantes. Por algum motivo, os gastos extrapolaram um pouco? Vale a pena rever as metas em conjunto, o que é superimportante para a vida financeira e (óbvio!) para o relacionamento. Tudo isso evita a chance de haver problemas no futuro.
Uma pergunta sobre a qual vale a pena refletir: por que não criar uma conta conjunta para os gastos domésticos e cada um ter a sua própria conta para gastos, mas mantendo o diálogo contínuo e não comprometendo o orçamento de casa?

Perdi o emprego. E agora?

A resposta é: um deve apoiar ao outro. Afinal, esse é (quase sempre) um fato inesperado. O apoio é importante ao extremo nesse caso, pois o desemprego por si só já é uma experiência traumática, ainda mais quando se tem dificuldade para recolocação ou se enfrenta doença. O risco, nesse caso, é cair no comodismo, deixando todas as responsabilidades no colo da outra pessoa.

Jogo limpo

Pode parecer um papo politicamente correto, mas não é: esconder um gasto, por menor que seja, é uma forma de traição. Isso vale desde aquela derrapada na conta da happy hour com os amigos àquele sapato em liquidação – a mesma coisa vale para a camisa de uma seleção do leste europeu. Nesse caso, aqui vale o seguinte: é menos nocivo a pessoa ficar chateada porque se gastou mais do que o normal, mas sabendo disso no ato. Descobrir porque a fatura do cartão de crédito veio com valor superelevado será sempre pior.

Senso comum provedor

Apesar de vivermos em tempos de defesa da igualdade de gêneros, ainda bate forte a questão de o homem ser o provedor do lar – o que também vale ao se levar em conta diferença salarial que ainda há (veja no box ao lado). Nesse caso, isso não significa que o homem deva arcar com tudo, mas as companheiras querem deles ambição, no sentido de crescimento e evolução na vida. E, sim, os homens têm dentro de si esse instinto provedor bem intenso. “Ele tem esse instinto de [ser o] provedor. Quando o casal está junto e a relação está boa, mesmo que o homem esteja ganhando menos, o importante é ela incentivá-lo e mostrar os lados positivos da profissão [exercida por ele]. Senão, as brigas irão começar e isso vai resultar em problemas. Mesmo com ele ganhando menos, a mulher pode mostrar que o admira como bom profissional”, detalha a psicanalista Taty Ades, especializada em terapia de casal.
Ainda sobre o homem ser o provedor da casa, há algum muito sério: ele não poderá usar desse poder para tornar a mulher dependente, tornando-a refém dele. Para começo de conversa, esse é um dos sinais mais significativos de um relacionamento abusivo, que é algo, sem meias palavras, condenável ao extremo. “Isso é perigoso, pois ela se torna refém dele, afastando-se da família e amigos, de sonhos e de projetos. Quando ‘explode a bomba’, ela irá se ver totalmente desamparada e chega uma hora em que fica insuportável”, destaca Taty. O melhor é que ele a incentive a desempenhar seu valor profissional e a sentir-se capaz e importante. Afinal, a vida é cíclica, e a cada momento um pode ser o esteio do outro.

Não é questão de sexo frágil, mas de igualdade

Em estudo feito com 18 países e publicado neste ano, o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) mostrou que o nível de disparidade social no Brasil é bem grande. Para se ter uma ideia, os homens ganham cerca de 30% a mais do que mulheres na mesma faixa etária e com o mesmo nível de instrução. Para efeito comparativo, a diferença
média na América Latina é de 17,2%.

- PUBLICIDADE -

SIGA/CURTA

28,870FãsCurtir
3,337SeguidoresSeguir
1,570SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever

VEJA TAMBÉM

Programa Saúde Agora abre cinco UBSs no último sábado do mês

No próximo sábado (28) cinco Unidades Básicas de Saúde (UBSs) estarão abertas das 8h às 16h pelo programa Saúde Agora para atender a população...

Neste sábado todas as UBSs estarão abertas para vacinação contra a Covid

Todas as Unidades Básicas de Saúde de Guarulhos, exceto a UBS Alvorada, estarão abertas das 8h às 16h para vacinação contra a Covid-19 no...

Cidadãos podem usar a Tribuna Livre da Câmara para se manifestar

Presidentes de associações de bairro, sindicatos, entidades da sociedade civil organizada, líderes de movimentos sociais e cidadãos comuns - a Tribuna Livre da Câmara...

Senhas para o mutirão do CadÚnico no CEU Ponte Alta serão entregues até sexta

O quarto mutirão do Cadastro Único de 2022 ocorrerá no CEU Ponte Alta (rua Pernambuco, 836, Jardim Ponte Alta I) no próximo sábado (28),...

Quarta-feira terá atendimento do Procon Itinerante no Jardim Bela Vista

O Procon Itinerante atenderá nesta quarta-feira (25), das 10h às 16h, a população na via da feira do bairro Jardim Bela Vista, à rua...