Por Cris Marques
Fotos: banco de imagens e Rafael Almeida

Cuidar do corpo, controlar a balança, começar uma reeducação alimentar, fazer exercícios; enfim, optar por um novo estilo de vida vai muito além da estética: é uma questão de saúde (física e mental) e de bem-estar. E isso ganha ainda mais relevância em um contexto no qual a obesidade já pode ser considerada uma epidemia mundial, com dados significativos aqui mesmo no País: metade da população está obesa, 18% está acima do peso e o Brasil figura entre as nações que mais consomem fast-food no globo.

Se você faz parte dessa estatística e quer mudar, saiba que de nada adianta “fechar a boca”, apostar em remédios milagrosos ou arriscar-se com receitas malucas e/ou restritivas. Para emagrecer de forma saudável, de verdade, é preciso aprender a comer, ter consciência dos alimentos de que seu corpo precisa para desenvolver bem suas funções, entender a qualidade e a quantidade do que é ingerido e praticar atividades físicas.
“Para o processo ser saudável e tranquilo, é preciso mudar velhos hábitos e a forma de encarar a comida, mas muita gente, ao invés de procurar ajuda profissional, tenta encurtar esse caminho. Usar uma fórmula para diminuir o apetite, por exemplo, pode até fazer a pessoa perder peso, mas ela não vai aprender a comer direito e pode ficar viciada, com isso, assim que ela suspender a medicação, bem provavelmente, voltará a comer errado e irá engordar tudo de novo”, explica Ariane Leal Lopes Madeira, sócia-proprietária da unidade do Emagrecentro, no centro de Guarulhos, que oferece tratamentos de emagrecimento e estética, como o Speedy, que alia dieta, acupuntura, procedimentos para gordura localizada e acompanhamento semanal.

 

Força de vontade e apoio profissional

Vanessa e Márcio Rodrigues, ambos com 34 anos, já haviam tentado vários regimes, inclusive o da USP, quando resolveram procurar o Emagrecentro. “Fui comprar uma calça e a 44 não me serviu. Naquele momento, percebi que precisava mudar de vida, urgente”, conta ela, que baixou a balança de 77 para 64 quilos, em pouco mais de 3 meses. O casal afirma que passar pelos três primeiros dias de reeducação alimentar é o mais complicado, pois, além da irritabilidade, o corpo já está acostumado a receber mais comida, mas que depois desse período a adaptação segue mais tranquila. “Você vai se acostumando e, quando as pessoas começam a reparar que você está reduzindo medidas, é muito bom: você volta a ter energia e até vontade de fazer coisas que antes não fazia”, pontua Márcio, que eliminou, em 3 meses, 19 quilos.

 

Entenda o tratamento

O Speedy é um tratamento de emagrecimento rápido e saudável, que engloba a reeducação alimentar, com a chamada dieta científica, sessões de acupuntura auricular, para tratar a ansiedade, aplicação de enzimas, infra-red – procedimento estético feito com uma manta térmica que acelera o metabolismo local –, testes periódicos de urina, para controle e, principalmente, orientação de desvios na alimentação e, caso necessário, a indicação de suplementação; tudo isso com acompanhamento semanal. Voltado para pessoas obesas, acima do peso e também para quem quer acabar com a gordura localizada, ele é dividido em quatro fases e sua duração depende de quantos quilos cada um precisa eliminar. Chamada de detox, a primeira fase dura uma semana e nela é possível perder até 3% do peso corporal. Nas próximas quatro semanas, é a vez da redox, voltada para redução e eliminação de mais 7%. Essas cinco semanas iniciais são primordiais e obrigatórias. Depois vem a terceira fase, com um mês, sendo a segunda quinzena de reintrodução dos alimentos que haviam sido restringidos, e a quarta e última fase, de manutenção.

 

Resultado e aprendizado pra vida

De acordo com Ariane Leal, ter uma dieta personalizada, balanceada, saudável e que leve em conta a perda de peso ideal para cada pessoa é a forma mais eficaz de emagrecer. “Aqui a pessoa (re)aprende a comer e consegue manter sozinha os resultados. Esse é o grande diferencial do Speedy. O acompanhamento semanal também é outro ponto chave; já vi gente que foi na nutricionista, mas desanimou com o processo lento e a demora entre uma consulta e outra; geralmente, mensal ou bimestral”. Vanessa mesmo admite que, hoje, já não segue mais o regime à risca, pois sabe bem como se alimentar. “Busco alimentos que sei que não têm muito carboidrato e procuro ingerir mais proteína. Também mantive a mesma rotina de quando estava em tratamento com aulas de zumba e caminhada. Posso dizer que tudo mudou na minha vida: ganhei autoconfiança, minha autoestima voltou, tenho mais disposição e fico feliz quando vou comprar roupas”, finaliza.

 

Emagrecentro Guarulhos – Centro
Rua Jorge Street, 96, Centro
Tel.: 2229-8193 / 2864-1361
www.emagrecentro.com.br