Foram protocoladas 836 ações locatícias em janeiro na capital paulista. Isso representa uma queda de 18,5% em relação ao mês de dezembro, quando foram registradas 1.026 ocorrências. Na comparação com janeiro de 2015 (1.382 ações), a retração foi ainda mais significativa, de 39,5%. Os dados estatísticos são do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, e foram obtidos pelo Secovi-SP (Sindicato da Habitação).

 

 

Em janeiro, as ações por falta de pagamento de aluguel, com 715 processos, foram responsáveis por 85,5% do total. As renovatórias ficaram na segunda posição, com 57 ações e fatia de 6,8%. As ações ordinárias/despejo e as consignatórias participaram, respectivamente, com 56 (6,7%) e 8 (1%) processos.

 

 

Entenda o significado de cada ação:

Consignatória – movida quando há discordância de valores de aluguéis ou encargos, com opção do inquilino pelo depósito em juízo.

Falta de pagamento: motivada por inadimplência do inquilino.

Ordinária (Despejo): relativa à retomada de imóvel para uso próprio, de seu ascendente ou descendente, reforma ou denúncia vazia.

Renovatória: para renovação compulsória de contratos comerciais com prazo de cinco anos.