A denúncia contra sete executivos acusados de cartel e fraude a uma licitação durante o governo José Serra (PSDB), em 2009, para criação de uma Parceria-Público Privada (PPP) no setor metroferroviário paulista foi aceita pela Justiça de São Paulo nesta segunda-feira, 28.

O contrato de R$ 1,8 bilhão serviu para a operação e a manutenção de 288 novos carros na Linha 8-Diamante da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e atribuiu às empresas vencedoras a responsabilidade de fazer por 20 anos a revisão da frota.

A denúncia foi apresentada no início de março. Segundo o promotor Marcelo Mendroni, do Grupo Especial de Delitos Econômicos, as empresas formaram cartel para tentar dividir os objetos do contrato.

As informações são do portal G1.