Servidores municipais não aceitam proposta do TRT-SP e continuam em greve

Servidores rejeitam em assembleia na Praça Getúlio Vargas proposta do TRT-SP - Fotos: Alexandre de Paulo/Click Guarulhos

A maioria dos cerca de mil servidores públicos municipais (estimativa do Stap, sindicato da categoria, contabiliza dois mil), concentrados na praça Getúlio Vargas, no Centro, no início da noite desta segunda-feira, 27, decidiu em assembleia pela manutenção da greve em Guarulhos. A proposta da desembargadora Ivani Contini Bramante, do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-SP), de 2,5% de aumento escalonado (1,25% em maio + 1,25% em setembro) e o abonado dos dias parados, além da reposição da inflação na cesta básica e no vale refeição/alimentação, foi rejeitada pela categoria. O Stap convocou para esta terça-feira, 28, às 14h, concentração e protesto em frente ao Paço Municipal, no Bom Clima.

Servidores votam pela manutenção da greve – Imagens: Alexandre de Paulo/Click Guarulhos

A proposta lida pela diretoria do Stap e colocada em votação foi elaborada em audiência de conciliação entre a Prefeitura e o sindicato, mediada pelo TRT-SP, na tarde desta segunda-feira, 27, na Capital.

Nota oficial da Prefeitura

“Em audiência de conciliação entre Prefeitura e Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) propôs o reajuste dos salários dos servidores municipais de Guarulhos em 2,5%, divididos em duas partes, sendo 1,25% em maio e 1,25% em setembro, além da reposição da inflação medida pelo Dieese (4,45%) na cesta básica e no vale refeição/alimentação.

A proposta da Justiça trabalhista também incluía o pagamento dos dias parados desde quarta-feira, 22, quando a greve da categoria foi decretada, até esta segunda-feira, 27. A partir desta terça-feira, 28, com a decisão de assembleia da categoria, que rejeitou a determinação da Justiça, não há acordo para pagamento dos dias parados.

Com a continuidade do movimento, o TRT também decidiu que o sindicato tem que garantir a presença de 70% dos funcionários em todos os locais de trabalho, sem que os serviços à população sejam prejudicados.

Até nesta segunda-feira, 27, com a adesão de cozinheiras em maior número em algumas unidades, o fornecimento de merendas aos alunos da rede municipal acabou sendo prejudicado. No geral, o atendimento à população não foi afetado, especialmente na área de Saúde.

Na audiência, o TRT também levou em consideração que a transposição dos servidores celetistas para o Regime Próprio prevê o reajuste da maior parte da categoria com índices que variam de 5% a 30%.”