PUBLICIDADE
InícioCANAISCOMPORTAMENTOPrincipais tratamentos para remoção de tatuagem

Principais tratamentos para remoção de tatuagem

Publicado em
PUBLICIDADE

Quem nunca sonhou com aquela bela tatuagem?

Muitas pessoas acabam se empolgando tanto com os desenhos ou com as situações da vida e resolvem tatuar o corpo. O que a princípio não tem nada de errado!

 

Mas, e quando bate o arrependimento? Será que é possível se livrar delas?

Neste artigo você vai conhecer os principais procedimentos para remoção de tatuagens: será mesmo que eles funcionam?

Pronta para saber mais sobre o assunto? Continue sua leitura até o final!

Entendendo o que é a tatuagem: por que elas podem “ficar para sempre”?

Nossa pele é um órgão formado por três camadas: a epiderme (camada mais externa), a derme (intermediária) e a hipoderme (a mais profunda).

Apesar de passarmos por constantes renovações neste tecido, a única camada capaz de sofrer processos de regeneração celular é a epiderme, a superfície que está diretamente em contato com o meio externo.

As demais camadas, derme e hipoderme, não possuem tal capacidade de regeneração. Por este motivo, a tatuagem acaba não saindo do corpo, pois seus pigmentos são injetados diretamente na derme, que não é dotada do poder de renovação.

Mas se a derme é uma camada interna, como os tatuadores conseguem atingi-la? As agulhas utilizadas nos processos de tatuagem são tão finas que conseguem penetrar cerca de dois milímetros de tecido, injetando os pigmentos da tinta diretamente nessa camada intermediária.

Procedimentos para remoção de tatuagem

Atualmente, dentre os procedimentos estéticos conhecidos para remoção, o laser é o mais indicado e o mais utilizado por profissionais especializados, mas também existem outros como a dermoabrasão e a remoção cirúrgica.

Como funciona a dermoabrasão?

O procedimento de dermoabrasão consiste em descamar as camadas mais superiores da pele, visando remover o pigmento da tatuagem e incentivando a renovação celular das camadas superiores – e consequente substituição de pele.

Costumam ser utilizadas lixas, ácidos, sal e um equipamento de escova com rotação rápida.

O tratamento não é um dos mais utilizados devido a sua demora no processo geral de cicatrização e por possuir várias contraindicações, não sendo recomendado para: tatuagens antigas (cujos pigmentos podem estar em camadas mais profundas), tatuagens feitas por amadores (que frequentemente tem pigmentos injetados em tecidos gordurosos) ou por pacientes com tatuagens no rosto.

É importante salientar que o tratamento nunca será capaz de remover todo o pigmento da pele, mas promete uma melhora bastante eficaz. As chances são exponencialmente aumentadas em tatuagens feitas por profissionais, que possuem o pigmento mais uniformemente distribuído nesta camada da pele, não sendo localizado em outros tecidos (como o de gordura).

Como principais complicações da técnica, pode-se citar: a dor, a descoloração da pele, possibilidade de infecções e cicatriz. Cabe uma análise médica dermatológica para verificar se o tratamento é o mais indicado para a situação.

Remoção a laser

O tratamento a laser é o mais indicado, seguro e eficiente para a remoção de tatuagens. Ele demanda uma certa paciência, mas possui menos complicações e mais resultado que o de dermoabrasão.

Dentre os equipamentos mais indicados para remoção de tatuagem a laser, está o q-switched. Tal tecnologia permite o disparo de grande quantidade de energia em pulsos que são propagados de maneira muito rápida, fazendo com que a tatuagem se fragmente em tamanhos menores, que serão mais facilmente eliminados.

Assim como qualquer procedimento, o laser envolve riscos, sobretudo manchas, inchaços e hematomas, mas se respeitado o processo natural de cicatrização da pele, são apenas temporários.

Geralmente o processo final apresenta grande melhora na coloração inicial, podendo restar apenas pequenos indícios da tatuagem, que podem ser substituídos, até mesmo, por uma tatuagem nova no local, proporcionando um aspecto muito melhorado.

O procedimento de remoção à laser costuma levar mais de seis sessões, podendo ser necessárias até quinze aplicações (com intervalos de um mês cada) para uma remoção efetiva. A sessão em si é bastante rápida, durando até vinte minutos, dependendo da extensão da área a ser tratada.

Um fator negativo é que a remoção costuma ser dolorosa, principalmente se as tatuagens forem densas e tiverem seus pigmentos mais profundamente inseridos na pele. Tatuagens amadoras ou com pouco pigmento injetado na pele costumam doer bem menos do que as mais profissionais.

Apesar do desconforto, o uso de cremes anestésicos e aplicações de bolsas de gelo costumam auxiliar muito nestes casos, fazendo com que, no final, a dor valha a pena.

Tatuagens mais antigas respondem mais rápido à remoção com laser, mas nada impede que ele haja sobre tatuagens mais novas – sendo requerido, nesse caso, mais paciência!

Em geral, o local da tatuagem não interfere no resultado de sua remoção. O que realmente é levado em consideração é a sua profundidade. Tatuagens em que o pigmento foi introduzido em camadas mais profundas, apresentam maior dificuldade para sair e podem não ser removidas completamente.

Diferentemente do local, a cor é um fator crucial a ser considerado nos processos de remoção: o laser acaba apresentando afinidade com alguns pigmentos, que costumam ser mais facilmente removidos, como os de tonalidades escuras (sobretudo preto e marrom).

Desde que respeitado o processo de cicatrização e realizado com um profissional de confiança, os resultados podem ser mostrar bastante positivos.

Remoção cirúrgica

Além do laser e da dermoabrasão, pode ser optada pela remoção cirúrgica da tatuagem, indicada para casos de pequenas tatuagens e locais que não apresentam limitações ou propensão à formação de queloides ou cicatrizes inestéticas (como ombros e tórax).

Este não costuma ser um método muito utilizado visto que o próprio procedimento em si será responsável por uma cicatriz definitiva, um fato esteticamente desfavorável.

A cirurgia em si é bastante tranquila e a estética da cicatriz irá depender do tamanho e do local da área tatuada. As complicações são comuns a qualquer procedimento cirúrgico: dor, infecção, inchaços e reações alérgicas. Além disso, a cicatriz necessitará de cuidados especiais, sobretudo durante a recuperação.

A tatuagem é completamente retirada nestes procedimentos?

Essa é uma das dúvidas mais comuns! E a resposta é: depende de uma série de fatores! Dependendo da tecnologia utilizada, da cor da tinta e da profundidade do pigmento.

Outros aspectos importantes

Tenha em mente que, apesar dos resultados serem bastante promissores, é essencial que você contate um profissional especializado para cuidar do seu procedimento, o que poderá minimizar seu desconforto e melhorar a qualidade do resultado final.

Na dúvida entre fazer ou não uma tatuagem, aguarde um tempo para que possa pensar melhor sobre o assunto. Afinal, os tratamentos podem ser quase efetivos, mas não são livres de sequelas e dores. Então vale a pena pensar bem, não é mesmo?

Gostou do conteúdo de hoje sobre a remoção de tatuagens? Comente logo abaixo suas dúvidas – estamos prontos para atendê-la!

Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE
Redes Sociais
28,870FãsCurtir
3,337SeguidoresSeguir
1,683SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever
PUBLICIDADE

Últimas publicações

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE