Coluna do Carleto – 26.07.2019

Vacina neles!

É espantoso o índice de menos de 7% do público-alvo vacinado contra o sarampo em Guarulhos. Em São Paulo, é de cerca de 25%. Essa doença não é brincadeira, mas, como havia sido radicada, muita gente não lhe dá a devida importância. Sarampo pode causar a perda da visão e pode até matar. O índice de mortes gira em torno de 0,2% das pessoas infectadas, mas em casos de pessoas desnutridas pode subir para 10%. Portanto, as famílias devem encaminhar seus jovens para tomar a vacina.

Vacinação nos shoppings

Neste sábado, equipes da Secretaria da Saúde estarão vacinando as pessoas nos shopping centers da cidade. O público-alvo envolve jovens de 15 a 29 anos. Na Capital de S.Paulo, a idade foi estendida até os 49 anos. Mas crianças também estão no foco, porque costumam ser as mais prejudicadas com consequências da doença. Na Região Metropolitana foram detectados 363 casos e há outros 800 em investigação.

Atitude irresponsável e desumana

Foram notificados nesta semana dois casos de coletores de lixo que foram feridos por picadas de agulhas de injeção descartadas irregularmente junto com os resíduos orgânicos de residências. Um aconteceu na região do Pimentas e outro no Residencial Bambi. As famílias precisam conscientizar-se de que objetos perfurantes e cortantes devem ser descartados dentro de embalagens rígidas, para não pôr a integridade dos coletores em risco. Agulhas de injeção precisam ser descartadas nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde).

Tratados com cachorros

Repercute nesta semana o caso de uma moradora do Parque Brasília, proximidades do Posto Sakamoto, que pediu a ajuda do DPan (Departamento de Proteção Animal) para recolher uma cadela que foi deixada na porta da casa dela. A pessoa já cuida de cinco cachorros e, pretendendo proteger algum cão da rua, pôs uma casinha na calçada. Porém, apareceu essa fêmea, que está no cio, atraindo vários machos, o que tem causado queixas dos vizinhos. A mulher pediu orientação ao Lar da Regina, que por já estar acolhendo 100 animais, recomendou que ela procurasse o Dpan.

Tratados como cachorros – 2

Porém, o Departamento, que faz parte da Secretaria do Meio Ambiente, lhe enviou esta resposta: “Infelizmente o DPAN não pode recolher animais nesta situação. A Regina sabe disso. O ideal seria ela ter indicado um protetor. Os animais q recolhemos são os em situação de risco iminente, machucados e doentes”.

Tratados como cachorros – 3

Cuidadores de animais questionam qual o efetivo papel do DPan, se um caso como esse não é considerado situação de risco. “Um órgão público recomendar que uma munícipe procure ONGs para resolver um problema de saúde pública não tem cabimento”, desabafa uma internauta. “Afinal, é um departamento de proteção aos animais; a fêmea precisa de proteção”, concluiu.

Sem resposta

Às 11h21 desta sexta-feira, enviei questionamento à Assessoria de Imprensa, pedindo que a Sema (Secretaria do Meio Ambiente) se manifestasse, pois as ONGs fazem trabalho voluntário, mas não podem assumir tarefas que caberiam ao poder público. Até a noite, não houve resposta.

Perna amputada por linha chilena

Um garoto de 15 anos de Betim-MG teve a perna amputada, em decorrência de um corte causado por linha chilena. Ele relatou que um ônibus passou e a linha ficou esticada, ferindo-o. O sonho do jovem é ser jogador de futebol. Um médico e empresário de Belo Horizonte se comoveu com a história do garoto e lhe doará uma prótese.

É preciso banir esse hábito

Linhas com cerol e essa tal linha chilena têm sido usadas livremente para empinar pipas, em logradouros públicos, inclusive no Parque Bom Clima J. B. Maciel, ao lado do gabinete do prefeito de Guarulhos. É imprescindível que haja ações conjuntas de órgãos municipais, estaduais e federais, visando combater essa prática perversa; cada um em sua esfera de atuação: fiscalização ao contrabando, ao comércio irregular desses produtos e à sua utilização nas áreas públicas.