Coluna do Carleto – 13.09.2019

Escadaria invade calçada

No dia 6/9, o Click Guarulhos publicou queixa de moradores da Vila Augusta que têm encontrado dificuldade para trafegar pela calçada no trecho em aclive, no final da rua Augusta, entre a rua Professor Ferreira Paulino e o Anel Viário. Nesse local, uma escadaria ocupa parte do espaço destinado à passagem de pedestres, obrigando-o a disputar espaço com os veículos.

Resposta da Prefeitura

No dia 10, a Subscretaria de Comunicação informou: “Em atenção à demanda, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano informa que realizou uma vistoria na última segunda-feira (9) e constatou que se trata de uma área pública, que provavelmente foi invadida. A Secretaria de Justiça será informada para tomar as medidas cabíveis.

Se é área pública…

Minha opinião como leigo: se a área é pública e supostamente foi invadida, creio que fica mais fácil resolver. O mais lógico é ir lá e demolir a escadaria, devolvendo o espaço que cabe aos pedestres. Se foi o próprio poder público que fez errado, estará se redimindo. Se foi um invasor que construiu, que faça a escadaria sem prejudicar o tráfego de pessoas.

Desespero dos partidos – 1

A cada semana surgem mais nomes de supostos pretendentes a disputar a cadeira de prefeito em 2020. Já para a vaga de vice-prefeito, há vários se oferecendo ou se arvorando para figurar na chapa de Guti e da empresária Fran Corrêa. Quando se trata, porém, de candidatos a vereador, são os partidos que estão caçando a laço quem se disponha a disputar.

Desespero dos partidos – 2

Afinal, os partidos precisam de dezenas de formiguinhas, que consigam de cem a mil votos, para ajudar a legenda a atingir o quociente eleitoral, e, assim, eleger um ou mais vereadores, que tenham tido uma votação mais expressiva. Maior ainda a dificuldade dos partidos que já têm um ou mais vereadores: se não houver escadinhas suficientes, diminuem as chances de êxito.

Desespero dos partidos – 3

O fato é que quem já foi candidato sabe o quanto é difícil conquistar votos. Enquanto isso, há os que, embora tenham passado pela triste experiência de ver o resultado das urnas bem aquém do esperado, insistem por entender que da próxima vez será melhor. Já vi gente que conseguiu dobrar a votação de uma eleição para outra, mas também muitos candidatos que, ao invés de aumentar a votação, ficaram ainda mais distantes da vitória.

Mal e bem do sistema proporcional

Esse sistema cruel não elege os mais votados no geral, mas quem se saiu melhor em cada partido. Por isso, o atual secretário de Governo, Americano, por exemplo, teve uns 6 mil votos e ficou de fora, pelo PHS, enquanto houve partidos que elegeram vereadores com menos de 2 mil votos. O lado bom desse sistema seria que fortaleceria os partidos, para que pudessem assumir determinadas bandeiras ou ideologias, o que raramente acontece.

Na área, mas sem disputar a bola

Encontrei casualmente, no Restaurante Viola Brasileira, no Centro, o médico e ex-vereador José Carlos Maruoka, almoçando com a empresária Fran Corrêa. Comentei com ele que isso reforçaria a especulação de que voltará a disputar uma vaga no Legislativo. Ele respondeu que não e que apenas gosta de estar envolvido na política.