Coluna do Carleto – 07.12.2019

 

“Tô nem aí”?

Na manhã desta sexta-feira, 6, eu passava pela rua Piratuba, ao lado do conjunto residencial Santa Cecília, quando notei que muita água escorria pela sarjeta. Logo mais, vi que o “ladrão” do reservatório estava jorrando água, provavelmente devido a algum problema na boia. Parei o carro, desci, fiz foto e vídeo e encaminhei à Comunicação da Sabesp, que tem sido muito eficiente em outras situações relatadas pelo portal.

Veja o vídeo: https://youtu.be/jQ8XLOhVFVs



“Tô nem aí”? – 2
Postei a informação no Click, na esperança de que alguém, independentemente da Sabesp, tivesse condições de tomar uma providência. Horas depois, passei novamente pelo local e vi que a água já não jorrava. Não sei quem resolveu o problema, mas o importante é que o precioso líquido já não estava sendo desperdiçado. Leia a resposta da Assessoria de Comunicação: “A Sabesp informa que não há vazamento proveniente da rede de água da Companhia no endereço citado pela reportagem. O reservatório em questão pertence a um condomínio residencial, e portanto não é de responsabilidade da Companhia”.

“Tô nem aí”? – 3
Quer dizer que se a responsabilidade não é da Companhia, pode deixar a água jorrando? Como cidadão, fiz o que minha consciência mandou. O que mais poderia fazer? Ir batendo de porta em porta naquele grande conjunto de blocos de apartamentos para saber quem poderia se responsabilizar pelo reparo a ser feito? Entendo que, alertada sobre um grande desperdício de água, a Sabesp tem o dever de intervir, ainda que a responsabilidade direta não seja da Cia. Creio que ali não haja poço artesiano. Portanto, se é água da Sabesp, caberia uma atitude, pois o povo todo está pagando pela água perdida. E ainda que seja poço artesiano, por uma questão ambiental seria de se esperar um comportamento mais adequado.

Saldo positivo

Apesar dessa pisada de bola, é nítida a diferença para melhor no abastecimento de água em Guarulhos. Veem-se mais equipes da empresa nas ruas do que quando era a autarquia municipal e os chamados têm sido atendidos mais rapidamente. Nesta semana, foi anunciado o fim do rodízio, um belo presente de aniversário para a cidade, ainda que em pontos isolados continuem havendo queixas de falta d´água e de discutível qualidade no líquido que chega às torneiras, como relatado há poucos dias por moradores do Parque Cecap. Sem dúvida, a migração do Saae para a Sabesp foi a decisão mais acertada da gestão Guti. Pode ajudá-lo na busca pela reeleição.

Decisão adiada

A indefinição no PT, quanto a quem irá disputar a eleição para o Bom Clima em 2020, permanece. Mais uma vez foi adiado o debate de encaminhamento para decidir entre o ex-prefeito Elói Pietá e o deputado federal Alencar Santana. A nova data é quinta-feira, 12, mas até lá cogita-se a possibilidade de um acordo entre os dois ou, como queiram, entre os grupos que os apoiam.

Matemática

Cada eleição é uma eleição. A história mostra que um bom resultado em um ano não garante o mesmo desempenho em outro. Mas, vale o registro: em 2018, Alencar foi eleito deputado federal, com 66.518 votos, enquanto Pietá ficou na segunda suplência, com 56.773 votos. Porém, em Guarulhos o ex-prefeito teve 48.192 votos enquanto o deputado obteve apenas 16.160. Resta saber se o partido irá preferir quem teve o triplo de votos do outro ou se irá apostar no que parece ser mais novidade para o eleitorado. Ou, ainda, se aventada união dos dois trará benefícios ao desempenho do PT nas urnas. O acordo de 2016, que levou Moacir de Souza a ser vice de Elói, ao que tudo indica, teve efeito contrário ou, pelo menos, não somou o que haveria de se esperar. Afinal, o partido não conseguiu ir para o segundo turno, depois de 16 anos comandando a cidade.

O que o povo pensa disso?

Seja com um ou com o outro candidato, a pergunta é inevitável: o eleitor quer novamente o PT governando a cidade? A avaliação negativa que boa parte do eleitorado faz da gestão Guti será suficiente para que a população deseje a volta do PT?

Candidatos em profusão

São tantos os candidatos a prefeito de Guarulhos em 2020 que dá para prever que haverá uma grande divisão dos votos da cidade, o que, de certa forma, beneficia o prefeito Guti. Quem está com a máquina na mão sai com alguma vantagem; dividindo o campo opositor, melhor para ele. A não ser que muitos se unam para bater em sua administração. Não é de duvidar que um ou outro candidato terá como papel principal bater nos concorrentes de Guti, poupando-o dessa desagradável tarefa.

Fundo eleitoral ou poço sem fundo eleitoral

A disposição do Congresso Nacional de elevar as verbas do fundo eleitoral para 2020 é de uma irresponsabilidade sem limites. Tirar verbas da saúde, da educação, da infraestrutura para dar aos partidos para gastar na eleição é imensa falta de respeito, principalmente no momento de crise que o País vive. Deputado que tiver o mínimo de vergonha na cara tem de se posicionar contra isso e deixar bem clara sua opinião para o eleitorado. Por falar nisso, como irão se comportar Eli Corrêa Filho e Alencar Santana? Nesse sentido, o Partido Novo, que se recusa a usar verbas do fundo eleitoral, pode ganhar pontos entre os eleitores, se souber e tiver como propagandear essa positiva atitude.

E o pedestre, como fica?

O amarelo piscante está funcionando razoavelmente para o trânsito na confluência das avenidas Dr. Renato de Andrade Maia com papa João XXIII. Porém, para os pedestres a dificuldade continua, pois ficam dependendo da boa vontade – ou não – dos motoristas. Até quando?